segunda-feira, 23 de março de 2009

Impacto à vista

A MATÉRIA ABAIXO SAIU NA REVISTA TRI SPORT, UMA REVISTA VOLTADA PARA O TRIATLON, MAIS AS DICAS ABAIXO TAMBÉM VALEM PARA NÓS CORREDORES.
BOA LEITURA...

Cuidado com os pés

Por Aline Campista


Você cuida bem dos seus pés? Pois deveria. São eles que suportam o peso do seu corpo e o levam para todo lado, além de te permitir correr, dançar, pular e etc... Segundo a Associação Médica Norte Americana de Pediatras, as pessoas andam, em media 210 mil Km durante toda a vida. Assim, se consideramos a superioridade do peso do corpo humano e relação ao pé, ao longo da vida de uma pessoa, é natural que os seus pés se desgastem, podendo ocorrer algum tipo de problema nessas estruturas.


Além do desgaste natural, muitas vezes os pés são deixados de lado e não recebem a atenção que merecem. No caso dos atletas, eles deveriam ser tratados com ainda mais carinho, já que são a principal ferramenta de trabalho. A cada passada os pés absorvem uma força várias vezes superior ao seu peso corporal. Mas por falta de informação, muitos tentam resolver os problemas que surgem por si só e não procuram o profissional e o tratamento adequado, o que pode agravar ainda mais a situação. “Quando sadios, os pés garantem a sustentação e o deslocamento de nosso corpo, suportando cargas enormes durante a marcha, a corrida e o salto sem qualquer dor ou desconforto”, afirma a Professora de Podologia Cinthia Belo.


Em geral, os pés são expostos à um excesso de esforço diário, seja por ficar horas seguidas em pé ou sentados, correndo ou andando e ainda tendo que suportar o abafamento dos sapatos ou tênis. Por isso, a pele dessa região é mais espessa. Se por um lado isso os protege, por outro lado deixa-os sujeitos a uma série de problemas, como micoses, calos, calosidades e unhas encravadas.


“Os pés sofrem alterações motivadas por fatores que a vida moderna provoca. O calçado criado para protegê-lo, na maioria das vezes, é um meio de agressão. E a atividade física praticada sem que os pés estejam devidamente adaptados ao calçado são fontes de patologias que acometem as unhas e estruturas ósseas ou musculares”, fala Cinthia.


Mas o maior risco aos pés dos esportistas são as lesões, muito comuns, principalmente em corredores. Isso acontece, porque, nessas atividades, o atleta submete os pés a um grande esforço e impacto. Por isso fique atento, pois aquela ‘dorzinha’ que você sente durante ou após a competição, pode ser séria e precisa de tratamento adequado. Antes que o problema se agrave, você deve prestar a atenção em algumas questões. Afinal, é melhor prevenir do que remediar. Na corrida, por exemplo, é fundamental acertar na escolha do tênis. Um calçado errado pode causar prejuízos à saúde do atleta, com o desgaste das articulações que, a longo prazo, impede a pessoa de permanecer no esporte, além de causar muita dor. A Podóloga Cinthia Belo ressalta a importância da escolha correta do calçado. “Hoje em dia é mais fácil escolher o tipo de tênis ideal, pois os fabricantes através de estudos anatômicos e biomecânicos oferecem grande qualidade nos produtos. O importante é levar em consideração o tipo de solo e qual vai ser a prática esportiva”, afirma Cinthia.


Para não errar na hora da compra, antes de começar a treinar, o ideal é procurar um ortopedista e se informar sobre seu tipo de pisada. O pronador pisa mais forte com a parte interna do calcanhar; enquanto no neutro, o calcanhar alcança o chão por inteiro. Já o não pronador ou supinador é a parte externa, atrás, que recebe mais carga de peso.


Feito isso, você já pode comprar o tênis ideal, sem comprometer o desempenho e a saúde. Além disso, certifique-se que o calçado é de boa qualidade, adequado para sua modalidade esportiva, se tem um bom amortecimento e se é respirável. Mas, escolher o tênis adequado não é garantia de segurança aos pés. Por isso, o atleta também deve fazer sua parte. Procure sempre fazer alongamentos antes e após o exercício, treine em locais com pisos adequados, fique atento à postura e ao limite do seu corpo.


Um grande ERRO de muitos é usar um único tênis para diferentes tipos de esporte. É comum, por exemplo, encontrar praticantes de corrida usando o mesmo calçado. Isso é uma falha grave.


CUIDADO COM AS LESÕES


Mesmo com todos esses cuidados, inevitavelmente, algumas lesões podem acontecer. Segundo o fisioterapeuta Antônio Chaer, as mais comuns são: fascite plantar, fraturas do calcâneo por estresse, Neuroma de Morton e alterações mecânicas nos arcos plantares. Chaer ressalta as três principais causas desses problemas.


As causas têm diversas origens, mas podemos resumir em três principais: treinamento inadequado, calçado inadequado, reposição nutricional inadequada de desproporcional ao desgaste do treinamento”.


Algumas delas têm tratamentos mais fáceis, mais outras origens maiores cuidados e tratamento mais longo. “Os tratamentos variam para cada problema, porém alguns procedimentos são gerais, como: aliviar os fatores que causam dor ou desconforto. Se dói correndo, trocamos a corrida por outra atividade de manutenção com menor impacto; usar gelo imediatamente após a atividades sobre o local da dor; buscar orientação o quanto antes de um profissional (médico ou fisioterapeuta)”, adverte Antônio Chaer.


A fascite plantar, por exemplo, que é uma lesão muito comum entre os atletas, afeta, justamente, a planta dos pés – uma região fundamental para a corrida e ciclismo.


A lesão que causa a talagia, dor na região do calcanhar, ocorre, principalmente, em indivíduos que apresentam distúrbios postural dos pés e que passam a praticar corridas por longos períodos. É o caso do atleta Luiz Cláudio Gonçalves, campeão do Troféu Brasil 2007 na categoria Amador. “Já fazem dois anos que convivo com a fascite plantar. Fiz tratamento por seis meses, obtive a melhora dos sintomas, mais ela reapareceu depois de um ano”, conta.


O sintoma principal da fascite plantar é a dor ao redor da base do calcâneo e no arco, sendo normalmente pela manhã, ao sair da cama. São inúmeras as causas, no caso de Luiz Cláudio, as dores surgiram após usar tênis com prazo de validade vencido. “Comecei a sentir dores nos pés após usar um calçado inadequado, já que estava com a validade vencida. Sinto muita dor, principalmente, ao me levantar ou após um período de repouso. Tem dias que mal consigo pisar no chão. E fora as outras coisas que uma lesão como essa provoca: insônia, mal humor, irritabilidade e inquietação”, lamenta o atleta.


O tratamento consiste em palmilhas, eventuais modificações do treinamnto, antiinflamatórios, ultra-som, crioterapia e repouso. Mas nunca se esqueça que o alongamento é fundamental e diminui muito a probalidade de um atleta ter esse tipo de lesão.


O esporão calcâneo é outro problema que, frequentemente, afeta os pés dos atletas, mais comum em pés com o arco elevado. O esporão é um crescimento ósseo extra no osso do calcanhar, que sofre excessiva tração da fascia plantar. Normalmente, o esporão causa muita dor e pode prejudicar o desempenho dos atletas. Há diversas maneiras de tratar o problema. Mas fique atento. Se não resolver, talvez seja necessária uma cirurgia para raspar o esporão do osso, e assim retornar às suas atividades normais sem dor. Por isso, antes de correr o risco de ir para uma mesa de cirurgia, procure usar tênis com bom amortecimento, que não tenha a parte do calcanhar muito rígida.


O Neuroma de Morton acontece no nervo plantar interdigital e pode causar muita dor, dormência e queimação, que são aliviadas ao remover o calçado. As causas desse problema podem surgir, principalmente, do uso de sapatos muito apertados. Então, para não correr o risco de sofrer com esses sintomas, procure usar tênis mais espaçosos e confortáveis. Em geral, o tratamento para o Neuroma de Morton é através de uma simples cirurgia para retirada.


Para quem vive exagerando nas atividades físicas, cuidado. O excesso de treinamento também pode ocasionar um sério problema aos atletas: a fratura de estresse. A conseqüência desse problema é a quebra parcial ou a fissura de um osso. Quem sofre com a fratura de estresse deve diminuir o ritmo de treinamento e procurar um médico. A boa notícia é que o problema geralmente melhora sem maiores complicações. Mesmo assim, evite exagerar nos treinos ou encontre uma superfície mais macia para correr, com grama e terra.


Agora que você já conhece alguns problemas que podem surgir nos seus pés, trate bem de deles, pois ele lhe darão muitos quilômetros de exercícios sem dor e competições repletas de alegria.


DICAS IMPORTANTES

Conhecer o que acontece em seu corpo é extrema importância, mais o acompanhamento médico e de especialistas é fundamental no treinamento esportivo, e eles devem ser procurados assim que surgir os primeiros sintomas. Porém, existem algumas medidas que podem ser tomadas pelo próprio atleta:


- Uso de gelo imediatamente após o exercício por 20 minutos;

- Para os períodos longe dos exercícios, fazer o escalda pés com água quente em uma bacia e imergir os pés por 20 minutos. Pode-se colocar sal grosso e arnica. É um excelente meio de recuperar-se do cansaço e dos treinos do dia. Assim como relaxa, pode ajudar também a prevenir lesões;

- Realizar corridas na areia descalço, que além de ser um bom treino muscular, ajuda no trabalho proprioceptivo para o tornozelo, e é uma espécie de massagem na planta dos pés. Além disso, possibilita o movimento dos ossos do pé e tornozelo de forma natural;

- Um bom creme hidratante e/ou antiperspirante, emolientes, loção calmante e refrescante , talco antisséptico e meia anti bolhas são fundamentais para manter a saúde dos pés;

- Usar creme hidratante todos os dias (exceto entre os dedos);

- Uma auto-massagem no fim do dia, os pés merecem e agradecem.


Bons treinos!!! E se cuidem!!!

7 comentários:

Fábio Namiuti disse...

Alguém ainda tem alguma dúvida do porquê deste ser o mais premiado, selado e seguido entre todos os blogs de corrida e corredores ? Eu não ...

Valeu, grande Jorge, mais uma postagem que diz simplesmente tudo.

Abraço e boa semana !

Fábio
http://fabionamiuti.hd1.com.br/

Rinaldo disse...

Pois é, amigo Jorge, seu post me incentivou definitivamente a fazer o exame de baropodometria (aquele que mede a pressão de cada ponto do pé).

Uma suposta "bursite" está me incomodando de novo, então o jeito é fazer o exame, que não é coberto pelo convênio. Começa com um formigamento depois de uns 15 minutos de corrida, vira uma queimação leve e muitas vezes dói, como já aconteceu em algumas corridas.

Muito legal a matéria, valeu pelas informações complementares!

Abraço!

Claudio Rinaldo
http://numerodepeito.blogspot.com/

Ernani disse...

Parabéns Jorge, essas informações realmente são muito importantes.

JOKA disse...

Parabens mandou bem na materia boa D+ .Abraco e bons treinos

TC Projeto Triathlon (Tuco) disse...

Fala Jorjão!!! Como que corre essa força??? Tudo bem amigo? Você, família, amigos? Oramos para que sim... Por aqui tudo em ordem, estou passando só para agradecer seus comentários e dar os parabéns pela excelente matéria, pois já vi que ás vezes ficamos receosos de dar uma copiadinha em alguma matéria legal (citando a fonte logicamente), por parecer meio artificial, mas o que esquecemos é que nem todos tem a cesso á todas as revistas, sites e blogs, portanto, acredito que o melhor mesmo seja compartilharmos. Um abração e bons treinos. Tuco

Ygor disse...

So não entendi uma coisa e queria tirar uma duvida...ali fala que é um erro grave usar apenas um tipo de tennis...entao eu me pergunto...é melhor comprar um tennis um bom...ou comprar 2 mais ou menos??

Jorge disse...

YGOR...
Agradeço pela sua participação aqui. Bom como vc não deixou contato, vou responder por aqui.

O corredor hj em dia que faz uso de um só par de tênis, seja para treinar e para competir, está cometendo uma falha grave, pois com isso pode se lesionar ou pé, perna ou joelho, por causa do impacto, quando nós corremos devido ao impacto a borracha do tênis é deformada e os especilistas dizem que é para alternar os tênis que o ideal é ter um ou mais pares de tênis para correr, pois após correr o tênis leva mais ou menos 24 horas para voltar ao formato normal, pois aqui em casa eu tenho mais de 10 pares de tênis, alguns eu só uso para treinar, outros só para competir, tem tênis só para correr na grama, no asfalto e na pista de atletismo...
Se eu fosse vc comparia aos poucos 4 pares de tênis, deixava 2 só para ir alternando nos treinos e mais dois só para competir.
Bom espero ter tirado a sua dúvida, qualquer coisa é só dizer...
Boas corridas.

Um abraço,

JORGE CERQUEIRA