terça-feira, 26 de abril de 2022

Competição nº 418 - 3ª edição da TUTAN Transmantiqueira Ultra Trail Agulhas Negras

Distância: 100 Km;
Tempo: 21 horas 56 min 44 seg;
Local: Parque Nacional do Itatiaia a Visconde de Mauá - Rio de Janeiro;
Colocação geral: 39°; e
Colocação faixa etária: 9°; e
Total de Corredores: 54 Corredores.
Nesse final de semana sábado dia 23 abril 2022, no Parque Nacional de Itatiaia e em Visconde de Mauá, foi realizada a 3ª  edição da TUTAN Transmantiqueira Ultra Trail Agulhas Negras, um evento inédito em percurso de trilhas e montanhas desafiadora com os seguintes percursos: 100 Km, 70 Km, 42 Km e 21 Km.

O Parque Nacional de Itatiaia, foi criado em junho de 1937, fica na Serra da Mantiqueira, abrange os municípios de Itatiaia e Resende,  sudeste do Brasil. Na seção inferior do parque, os trilhos atravessam a Mata Atlântica, que abriga macacos muriqui raros e aves coloridas, como o tucano e outras aves oferecendo uma vista deslumbrantes para o vale. A região de planalto possui picos rochosos como as Agulhas Negras. Vale a pena visitar esse belíssimo parque.

Fui com os amigos Rodrigo e Igor, saímos do Rio às 16 horas e chegamos em Visconde de Mauá por volta das 20 horas, dessa vez não ficamos em pousada, pois a que achamos nos pediu R$ 1.200 reais para os três dias, achamos um absurdo, muito caro porque não íamos ficar na pousada curtindo, iríamos ir para à largada às 3 horas da manhã da madrugada de Sábado e iríamos correr o Sábado o dia todo e numa parte da madrugada de domingo,  pegamos o nosso Kit, jantamos num restaurante local e dormimos dentro do carro mesmo, vi outros corredores fazendo o mesmo.
Kit  da TUTAN 100K
Corri a primeira edição em 2018 no percurso antigo finalizei os 100K em 16 horas, em 2019 não deu para correr porque recebi um convite para correr a Ultramaratona de 48 horas do Uruguai e como não tinha corrido nenhuma prova internacional aproveitei fui e venci a prova, em 2020 e 2021 não teve por conta da pandemia do COVID 19 e a prova retornou esse ano de 2022, com um percurso novo e muito desafiador. Pensei que nós iríamos correr numa parte percurso antigo e do novo percurso, mas ledo engano tudo tinha mudado. Acordamos por volta das 2:20 horas da manhã, estava fazendo um pouco de frio, pegamos o ônibus da organização saindo de Visconde de Mauá às 3 horas da manhã para à largada em Itatiaia, dentro do ônibus fiz um lanche rápido. Chegamos no local às 4:20 horas da manhã, me preparei, guardei os meus pertences no guarda volumes e ficamos aguardando à largada.

Faltando alguns minutos para à largada à organização colocou o Hino Nacional para tocar e às 5 horas da manhã em ponto foi dada à largada, o corpo ainda frio, fui correndo num pace devagar, enquanto outros largavam a todo vapor pelo asfalto subindo o Parque de Itatiaia, em 2018 na largada estava um frio de lascar, mas dessa vez esse ano não estava tanto frio, fomos correndo subindo pela montanha acima e já com 2,5 Km já tinha corredores alternando corrida e caminhada, eu fui mais cauteloso porque não sabia o que iria encontrar lá por cima, a estratégia era tentar baixar o tempo de 16 horas da edição de 2018. 
Kit  recebido
Às 6 horas da manhã o dia já estava começando a clarear e o GPS marcava 7,87 Km e o asfalto tinha acabado e agora estávamos correndo na estrada de chão de terra batida, cada vez mas que corríamos o percurso ficava mais íngreme, todos iam alternando correndo e caminhando, quando passei pelo Posto de Controle 1 a galera parou para abastecer, como estava com a mochila ainda abastecida resolvi não parar nesse PC 1 para não perder tempo e aproveitar para ultrapassar alguns corredores continuei correndo. Quando chegamos numa parte lá em cima com 22 Km estava ventando muito forte que o vento derrubou minha lanterna que estava na minha cabeça, peguei a minha lanterna no chão e prossegui no percurso da prova, após chegar lá em cima sentir que algo não ia bem comigo o corpo não estava reagindo bem, continuei alternando correndo com caminhadas, quando cheguei no Posto de Controle 2 o GPS marcava 29 Km, aproveitei preenchi minha mochila de hidratação de água, comi uma banana, comi um copo de macarrão e para não perder muito tempo parado por causa do tempo de corte, prossegui pela trilha do Parque do Itatiaia o vento continuava forte e o percurso ia minando as nossas forças as pernas já estavam bem cansadas. Mas a frente avistava o monte das Prateleiras e em seguida passamos correndo pela imponente paredão de pedras das Agulhas Negras que lugar lindo demais criado pela natureza, continuei prosseguindo e cada vez mais o percurso ficava difícil em vários lugares subidas e descidas íngremes, quando chegava num cume de uma certo lugar lá em cima pensando que iria correr na descida em alguns lugares não tinha como correr devido várias pedras e terras escorregadias, um tombo nesse lugar poderia colocar tudo em risco, mais a frente ia correndo dois corredores, chegamos numa parte de charco e água e atravessamos e tinha uma placa escrito AIROCA quando começamos a correr por ela, para nossa sorte olhei para trás e via dois corredores seguindo outra trilha e falei acho que nós estamos correndo na direção errada e retornamos e perguntamos a um guia que estava conduzindo uma turma de trilheiros e para nossa sorte ele falou para nós retornar e pegar a outra trilha e assim fizemos.
Dentro do Parque de Itatiaia com uma ventania descomunal
Foi um tal sobe de desce que estava muito punk, não dava para ficar contemplando e gravando muito a natureza por causa do ponte de corte, lá pelos Km 40 quando ia atravessar uma cachoeira eis que me alcança uma corredora a Mara que me reconheceu do meu Instagram e fomos correndo por alguns kms do percurso, a vontade era de parar de correr, mas a Mara me dava força para continuar (muito obrigado amiga). Fomos descendo até chegar a um sitio no meio do nada daquela montanha, onde tinha uns staffs abrindo a bica de uma torneira para refrescar os corredores e nesse sítio os donos vendiam refrigerantes e lanches, para não demorar muito comprei um sprite e fui bebendo no percurso, naquele momento de desgaste foi uma delícia, continuei no percurso até chegar o morro do Elefante que morro brutal ele é tão íngreme que nesse local ninguém consegue subir correndo somente caminhando montanha acima, nessa parte quem tinha bastão fez a diferença que ajudou muito, após ter chegado lá em cima, já estava bem desgastado continuei caminhando. Ao chegar num campo descampado vi que já estava com 50 Km e batendo 16:30 horas, passei por uma cachoeira enchi novamente minha mochila de água e mais à frente alcancei o amigo Marcos Favieri e perguntei qual era o segundo ponto de corte e o horário limite para chegar lá, ele me informou que era no 57 Km e o limite era às 18 horas, agradeci e comecei a correr forte descendo com todo cuidado para chegar lá e não ser cortado, mas abaixo encontrei com mais 4 corredores que iam correndo devagar fui com eles, mas como eles estavam correndo devagar poderia ser que não chegasse a tempo de chegar no ponto de corte, falei com eles que iria me adiantar correndo mais forte e assim eu fiz, quando cheguei mais abaixo encontrei com alguns staffs e um carro da organização e perguntei aonde seria o PC do KM 57? Ele me respondeu que estava mais 2 Kms abaixo, daí retruquei, como assim? Pois no meu GPS já estava marcando 60 Km, ele disse que talvez por o sinal do meu GPS poderia ter perdido o sinal e depois ter voltado e ter dado mais, disse para ele que era impossível que a todo momento da prova vinha monitorando o meu GPS e que não tinha pedido o sinal do GPS, nesse instante comecei a imprimir uma velocidade descomunal montanha abaixo até chegar nesse bendito KM 57, cheguei às 17:40 horas da tarde, nesse PC tinha alguns corredores comendo e fazendo massagens, como já estava esgotado mas não queria perder muito tempo lá parado, pedi para a Staff completar minha mochila de água, comi um copo de macarrão e partir correndo às 18 horas da tarde tentei acompanhar dois corredores mas como eles estavam correndo mais forte do que eu, deixei eles irem embora e fui descendo correndo devagar.
Passando pelas Agulhas Negras
Subindo o morro do Elefante que subida dificil...Ufaaa
Bem mais abaixo no percurso alcancei o amigo corredor bombeiro Joêmio e fomos correndo juntos, um dando forças ao outro, passamos pelo PC 69 preenchemos a nossa bolsa de água e garrafa de isotônico e partimos, não tinha como correr numa boa parte do percurso porque eram muitas pedras soltas nas ruas de barro e a noite qualquer topada poderia colocar a prova perdida, fomos trotando e caminhando com todo cuidado, Chegamos no asfalto e alcançamos o PC 4 no Km 74 comemos macarrão e logo em seguida chegaram mais uns corredores, como não queria perder mais tempo falei com o Joêmio bora logo terminar essa prova. O amigo Marcos que tinha acabado de chegar com a outra turma, não resolveu esperar os outros amigos e resolveu ir conosco, começamos a encarar a subida longa do Maribondo, eita subida difícil de subir, quando já estávamos chegando no cume desse morro, eis que do nada apareceu a amiga Anmielle que estava na prova e nos surpreendendo e nos ultrapassou descendo rápido, os amigos Joêmio e Marcos ficaram de boca aberta com a evolução dela na prova. Fomos descendo pelo outro lado do Maribondo uma descida enorme e escorregadia de noite e fomos alternando correndo e caminhando até chegarmos num PC onde tínhamos que atravessar uma cachoeira com enormes pedras tivemos que atravessar com maior cuidado porque qualquer escorrego ali poderia ser fatal para alguém, tão logo atravessamos a cachoeira, pegamos outra pirambeira de subida quase na vertical e saímos numa estrada de mato...ufaaa...Continuamos a descer, descer e descer e após uma longa descida conseguimos chegar na estrada de terra, passamos por mais um posto de água e preferimos não parar ali para abastecer e terminar logo a prova. Ao chegar na entrada de Visconde de Mauá já no asfalto a Staff nos informou que não era para entrar em Visconde de Mauá que deveríamos prosseguir em frente subindo uns 2 Km pelo asfalto que lá tinha um Staff que nos iria nos indicar a direção certa pela trilha, começamos a subir e a subir pelo asfalto até chegarmos nesse Staff onde ele nos indicou a direção a seguir pela trilha e assim fomos correndo pela trilha até a chegada em Visconde de Mauá terminando juntos Eu, Joêmio e Marcos com 21 horas 56 minutos e 44 segundos...Ufaaa...que prova duríssima.
Valeu Joêmio e Marcos foi muito bom ter terminado essa prova com vocês...Parabéns
Muito obrigado pelo apoio Marcos Campos que prova irada hein...kkk
Mais duas conquistas para coleção. Obrigado meu Deus
Avaliação da Prova:
Inscrição: Para quem correu 100 Km foi R$ 748 reais, para os 75 Km foi R$ 594 reais, para os 42 Km pagou R$ 462 reais e para os 21 Km pagou 335 reais. Como fui convidado da prova a minha foi gratuita...Ponto positivo;
Kit:  O kit foi distribuído para os corredores um dia antes da prova em um campo de futebol de Visconde de Mauá. Recebemos 1 sacola de papel, 1 camisa da prova com o nosso nome com velcro, 1 boné, 1 número de peito com o chip descartável colado atrás do número, 4 alfinetes, 1 adesivo da prova. O Kit foi retirado de forma rápida e sem nenhum problemas...Ponto positivo;
Guarda volumes: A organização disponibilizou na largada um caminhão guarda volumes onde um casal de staffs pegava nossas bolsa, escreviam em um papel branco o nosso número, colocava dentro de um saco grande transparente o nosso número e pertences. Tanto na entrega como na retirada dos meus pertences não tive nenhum problemas e foi de forma rápida...Ponto positivo;
Drop Bags: A organização disponibilizou três pontos de Drop Bags o primeiro no Km 29, o segundo no Km 57 e o terceiro no Km 74, eu só usei um no Km 57...Drop bags são pontos de apoio para os atletas em uma prova em que a organização guarda os pertences dos atletas, caso os Corredores queiram trocar de roupa, tênis ou alimentação extra nesses drop bags...Ponto positivo.
Altimetria da prova: Bem pesado, quem não treinou em montanhas pagou seus pecados no percurso até eu que estou acostumado sofri...kkk;
Percurso da prova: A largada foi em Itatiaia, estrada de acesso a parte alta do Parque Nacional de Itatiaia, à largada foi às 5 horas da manhã em ponto, com 2,5 Km de subida já tinha corredores andando, quanto mais subia o percurso ficava mais íngreme, quando chegamos há mais de 1.800 metros de altimetria estava ventando muito forte. Uns 80% do percurso da prova foi de terra batida e muita caminhada porque tinha muitas subidas e descidas íngremes e com muitas pedras nas estradas de chão de barro que não dava para correr. Dentro do Parque a organização não pode marcar com fitas por causa da do meio ambiente, mas dentro do parque tem placas indicando o caminho e fora do parque a organização marcou o percurso com fitas amarelas e cinzas reflectivas para a noite. Durante todo o trajeto da prova eu fiquei bem focado prestando atenção nas fitas para não se perder. Também durante o percurso havia staffs em alguns pontos...Ponto positivo;
Posto de hidratação: Todos os Corredores tiveram que correr com mochila de hidratação com mínimo de 1,5 litros. A organização disponibilizou ao longo do percurso 4 pontos de hidratação com água, gatorade e também ao longo do percurso passamos correndo por várias fontes dágua que ajudou bastante...Ponto positivo;
Alimentação da prova: A organização disponibilizou durante o percurso nos PCs frutas (bananas e maçãs), macarrão em copos, variados tipos de doces e ao concluir a prova tinha macarrão em copos, água, isotônico...Ponto positivo;
Posto médico: A organização disponibilizou ambulâncias com equipe médica na largada, no PC 29, no PC 57 e na chegada...Ponto positivo;
Banheiros: A organização disponibilizou banheiros químicos na largada, também teve banheiro físicos no PC 29, 57 e na chegada...Ponto positivo;
Medalha de participação: Todos os corredores que cruzaram a linha de chegada de forma legal receberam um lindo medalhão grande, na frente veio o símbolo da TUTAN na cores abóbora e branco com a distância para quem correu os 100 Km, atrás vindo escrito o nome da prova e vindo com uma fita personalizada na cor branca...Ponto positivo;
Premiação extra: Somente os Corredores que correram a distância de 100 Km, além do medalhão receberam também uma linda Fivela com o símbolo da TUTAN...Ponto positivo;
Premiação da prova: A organização premiou os 5 primeiros colocados na geral masculino e feminino de todas as distâncias: 100Km, 75Km, 42Km e 21 Km da prova com troféus lindos e enormes de madeira que continue assim...Ponto positivo;
Premiação Faixa Etária: A organização premiou os 3 primeiros colocados masculino e feminino nas faixas etárias de 10 em 10 anos, todas as distâncias: 100Km, 75Km, 42Km e 21 Km da prova com troféus lindos e enormes de madeira...Ponto positivo...Sugiro que para o próximo ano a organização mude a premiação da faixa etária de 10 em 10 anos para 5 em 5 anos que é o correto;
Resultado da prova: A prova foi cronometrada pela www.chipvale.com.br foi colocado marcação de chip na largada, no Km 29, no Km 57, no Km 74 e no final da prova e o resultado foi divulgado no mesmo dia e no site da prova...Ponto positivo;
Prova: A TUTAN com esse novo percurso tem um visual deslumbrante, onde passamos correndo por montanhas imponentes para todos os lados, por diversas trilhas difíceis, pisando em pedras, rios e brejos com muita natureza. A prova ficou muito mais difícil, sugiro quem for correr na próxima edição treine bem arduamente porque não encontrará moleza na prova, pois é um percurso desafiador que ao longo da prova vai minando suas forças e quem não treinou bem dançou esse ano, muitos corredores que não treinaram adequadamente não conseguiram chegar a tempo no Km 57 e foram cortados. Sugiro que treinem em montanhas pesadas com bastões, principalmente treinando caminhando forte seja nas subidas como nas descidas, porque na TUTAN vai caminhar muito. Até eu que treinei para essa prova foi difícil completar, lá pelo Km 20 o corpo já estava bem cansado e não estava reagindo bem, a estratégia era fazer essa prova em menos de 16 horas, mas com o imprevisto não deu e só concluí, para mim essa foi a Ultra mais difícil que corri em toda a minha vida. Agradeço ao Marcos Campos e toda sua equipe da TUTAN pelo apoio, MUITO OBRIGADO, parabenizo a todos que correram essa terceira edição da TUTAN e para aqueles amigos que não conseguiram concluir a prova, não desistam, treinem para concluir ano que vem. Aguardo todos vocês lá novamente e digo que irei mais preparado porque nessa não estava. Todo esforço valeu a pena quando cruzei a linha de chegada na TUTAN. Obrigado meu Deus. Agora é recuperar a musculatura do corpo para a próxima aventura.

Nos vemos na próxima linha de largada e lembre-se o treino jamais deve parar⛰️🏃🏾‍♂️💨🇧🇷

4 comentários:

  1. Show... mandou bem... só não entendi pq faixa etária de 10 em 10 anos, não vejo isso em lugar nenhum, deve ser para economizar na premiação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em Trail o normal tem isso mesmo: 10 em 10 anos. Diferente da Corrida de rua, o qual é de 5 em 5 anos. Repare que a quantidade de atletas é bem menor no Trail, portanto, mesmo sendo de 10 em 10 é ainda menos difícil conseguir premiação nesse.

      Excluir
    2. Obrigado amigo Marcelo. O Cesar acima explicou o motivo. Abs

      Excluir
    3. Vlw Cesar obrigado pela informação.

      Excluir

Sejam bem vindo(a)s ao meu Blog de Corridas. Participe seus comentários serão muito importantes para mim e para outros participantes interessados no mesmo tema.

Todos os comentários serão bem vindos, mas, reservo-me no direito de excluir eventuais mensagens com linguagens inadequadas ou ofensivas.

PS: Caso queira entrar em contato, me mande um e-mail para jmaratona@jmaratona.com

Obrigado,

Jorge Cerqueira
Ultramaratonista