quarta-feira, 1 de abril de 2020

Informe da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte

Informe 3 da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE) - Perguntas mais frequentes sobre exercício físico e a COVID-19:

São Paulo, 30 de março de 2020

A Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE), tendo em vista a pandemia de COVID-19 e a responsabilidade que entidades médicas têm no esforço conjunto para controlar essa infecção, vem cumprindo seu papel representativo dos especialistas em Medicina do Exercício e do Esporte, bem como exercendo sua função social, divulgando Informes e Notas, onde disponibiliza informações e posicionamentos que julga relevantes, dentro da área de atuação da especialidade.

Em função do grande número de dúvidas que têm sido encaminhadas aos nossos canais de comunicação (site, Instagram e Facebook), decidimos publicar as perguntas mais frequentemente formuladas com suas respectivas respostas.
1) Realizar exercícios físicos em academias, clubes esportivos e similares aumenta o risco de infecção pelo coronavírus?
Resposta: De acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde do Brasil (MSB), que são endossadas pela nossa Sociedade (SBMEE), se deve evitar a prática de exercícios físicos em locais fechados e com possibilidade de grande número de frequentadores simultaneamente, pois isto aumenta a probabilidade de transmissão do coronavírus. Além disso, o uso e manipulação de equipamentos por diferentes pessoas (esteiras, bicicletas ergométricas, aparelhos de musculação etc.), que podem estar com superfícies eventualmente contaminadas por praticantes infectados, aumenta também o risco de transmissão da COVID-19. Desta forma, a ida a academias, clubes esportivos e similares, mesmo em condomínios, onde esta situação de aglomeração e/ou uso compartilhado de equipamentos possa ocorrer, deve ser evitada por todos.

2) Realizar exercício físico ao ar livre (como caminhar, correr, pedalar etc.) aumenta o risco de infecção pelo coronavírus?
Resposta: De acordo com a OMS, o MSB e a nossa Sociedade (SBMEE), realizar exercício físico ao ar livre está recomendado, observando sempre os protocolos de prevenção amplamente conhecidos. Ressaltem-se os cuidados para que o exercício seja feito de forma isolada (nunca em grupo), evitando aglomerações e contatos pessoais próximos, respeitando distância interpessoal adequada (pelo menos de um metro, segundo o MSB), além de manter os cuidados preconizados de etiqueta respiratória e de higiene. Em relação a estes protocolos preventivos, cabe ressaltar que, ao sair de casa, o praticante pode se expor a situações de imprevisibilidade, precisando estar atento para evitar a possibilidade de aproximação inadequada com outras pessoas em elevadores de prédios, áreas comuns de condomínios e em espaços públicos (já que outros podem ter a mesma ideia de se dirigir àquele local escolhido, causando aglomerações indesejadas), além do risco potencial de contato com superfícies diversas (botões, corrimão, maçanetas, portas, barras de apoio e/ou para alongamento etc.), eventualmente contaminadas. Portanto, a prática de exercício ao ar livre, desde que não proibida por lei decretada pelo poder executivo, para determinada localidade ou região, está recomendada, por ter, reconhecidamente, efeitos benéficos para a saúde física e mental (especialmente nesse período de redução de mobilidade social), mas precisando seguir sempre as recomendações de distanciamento e de higiene preventiva, preconizadas pelos órgãos oficiais de saúde.

3)Porque, nos primeiros Informes da SBMEE, foi colocado que o exercício ao ar livre estava recomendado, com os cuidados de evitar aglomeração de pessoas e respeitando-se as etiquetas respiratória e de contato, mas, em Nota de 22/03/2020, há uma recomendação dizendo o contrário?
Resposta: Não se trata de recomendação contrária. A SBMEE já publicou 2 Informes e 2 Notas, a respeito de Exercício Físico e a COVID-19 (disponíveis em nosso site, Instagram e Facebook). Assim como a OMS e o MSB, entre outras instituições, recomendamos a prática de exercício ao ar livre, seguidas as precauções amplamente divulgadas e conhecidas. Entretanto, conforme consta em nossas Notas (em 22/03 e 25/03, esta última com maior detalhamento), nas localidades onde existir determinação legal de quarentena,

com isolamento social mais rígido, como no estado de SP (cujo governador declarou que iria deixar de fazer atividades físicas ao ar livre, para não descumprir seu próprio decreto), achamos oportuno lembrar/estimular a opção de treino domiciliar, para que as pessoas tentassem se manter ativas. Por isso, quando existir este tipo de restrição legalmente decretada, prevalece a mensagem geral de "Ficar em casa", a não ser nos casos de exceção, previstos na lei promulgada. Portanto, nesta situação específica (que, dependendo da evolução da pandemia, pode vir a ocorrer em diferentes locais ou regiões), não se trata de seguir determinada recomendação, mas do cumprimento responsável de uma restrição legal e de procurar opções viáveis (como o exercício em casa), pois lei não se discute, se cumpre!

4) Afinal, no Brasil, é permitido ou não realizar exercícios físicos ao ar livre?
Resposta: Nos locais onde há uma determinação legal de quarentena, decretada pelo poder executivo, envolvendo maior rigor na restrição de mobilidade social, a prática regular de exercícios ao ar livre pode estar proibida, conforme exemplificado na pergunta 3. Como temos observado que estas determinações podem se tornar mais ou menos restritivas, no transcorrer da pandemia da COVID-19, aconselhamos que cada pessoa consulte regularmente os órgãos locais competentes, a fim de ter informações atualizadas sobre o estado de restrição de mobilidade onde reside, evitando infringir proibições determinadas por lei em vigor para sua cidade e/ou estado.

5) A recomendação da SBMEE, quanto à prática de exercícios ao ar livre, é diferente de outras instituições (tais como a Organização Mundial da Saúde - OMS, Ministério da Saúde do Brasil - MSB, American College of Sports Medicine - ACSM, British Association of Sports and Exercise Medicine e COPAMEDE)?
Resposta: O posicionamento da SBMEE é de que está recomendado realizar exercícios físicos ao ar livre, de maneira individual (nunca em grupos), desde que sempre se evitem aglomerações, se respeite manter a distância mínima de um metro entre as pessoas, além de observar os demais cuidados preconizados de prevenção, higiene e etiqueta respiratória. A SBMEE publicou seu primeiro Informe, sobre este assunto, em 17/03/2020, tendo sido uma das primeiras, entre estas instituições, a se manifestar positivamente sobre a citada prática. As recomendações de todas estas entidades, mencionadas nesta pergunta, têm teor semelhante e concordância com o posicionamento da SBMEE.

6) A prática de exercícios físicos é benéfica para o sistema imunológico das pessoas?
Resposta: A prática regular de exercícios físicos está associada a uma melhora da função imunológica em seres humanos, otimizando as defesas do organismo diante de agentes infecciosos. Isso não quer dizer que uma pessoa fisicamente ativa está imune ao coronavírus, pois este é um agente infeccioso novo, com a população mundial não tendo exposição suficiente para ter anticorpos para combater este vírus. Portanto, os cuidados gerais, amplamente divulgados, como evitar aglomerações, lavar as mãos regularmente com água e sabão ou usar álcool gel 70% e manter a etiqueta respiratória, além de observar determinações obrigatórias de restrição de mobilidade e/ou de isolamento social, decretadas pelo poder executivo em localidades específicas, devem ser seguidos por todos, independentemente de seu nível de condicionamento físico.

7) Ser fisicamente ativo ou até mesmo ser um atleta confere imunidade contra o coronavírus?
Resposta: Não. Um bom condicionamento físico está associado a uma melhor ativação do sistema imunológico. Contudo, conforme respondido na pergunta 6, isto não confere imunidade irrestrita, inclusive em relação ao coronavírus.

8) Pessoas que apresentam manifestações clínicas compatíveis com um quadro infeccioso de vias aéreas (tais como febre, tosse, coriza etc.) podem realizar exercícios físicos?
Resposta: Conforme as recomendações das autoridades de saúde (como a OMS e o MSB), quando uma pessoa apresentar manifestações compatíveis com uma infecção respiratória, ela deve se manter isolada, em casa (com o cuidado de isolamento dos demais moradores também), por 14 dias, para evitar a transmissão de uma eventual infecção pelo coronavírus (a não ser se apresentar febre persistente e, principalmente, dificuldade para respirar, quando deve procurar atendimento especializado). Na citada situação de isolamento domiciliar, o que se recomenda é que a pessoa fique em repouso e não faça exercícios físicos, mesmo que em casa, até que ocorra a recuperação completa da infecção respiratória.

Demais Informes e Notas referentes ao coronavírus, anteriormente publicados pela SBMEE, podem ser encontrados nas seguintes mídias:
-  Site: www.medicinadoesporte.org.br
-  Instagram: @sbmee
-  Facebook: sociedadebrasileiramedicinaexercicioesporte

Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte 
Presidente: Dr. Marcelo Bichels Leitão Presidente Eleito: Dr. Marcos Henrique Laraya

Participaram da elaboração deste documento: Dr. Daniel Arkader Kopiler, Dr. Ivan Pacheco, Dr. José Kawazoe Lazzoli, Dr. Fernando Carmelo Torres, Dr. Marcelo Bichels Leitão e Dr. Marcos Henrique Laraya. 

segunda-feira, 23 de março de 2020

Comunicado Oficial: Maratona do Rio é adiada e anuncia novas datas


Uma das mais tradicionais competições de corrida do país, a Maratona do Rio, foi remarcada para os dias 11 e 12 de outubro. A decisão de adiar a prova – inicialmente agendada para o feriado de Corpus Christi, em junho – segue a orientação do Ministério da Saúde para os eventos durante o período da pandemia do Coronavírus e tem como objetivo preservar, em primeiro lugar, a saúde e o bem-estar de atletas, funcionários, parceiros e da comunidade, bem como antecipar possíveis dificuldades no treinamento que pudessem comprometer a experiência dos inscritos.

A nova data foi escolhida por também se tratar de um feriado nacional. Com isso, corredores que vêm de diversas partes do país e do exterior têm mais tempo para chegar à cidade e se organizar para a competição. A mudança impacta, ainda, a montagem da Casa Maratona, que funcionará entre os dias 9 a 11 de outubro e vai reunir marcas relacionadas ao esporte no Centro de Convenções Sul América (Av. Paulo de Frontin 1. Acesso pela Rua Beatriz Larragoiti Lucas. – Cidade Nova). O local será base para a distribuição dos kits dos atletas.

Os corredores já inscritos, automaticamente foram migrados para as novas datas do evento. Já os que não puderem participar da competição neste ano, poderão solicitar a transferências da inscrição para a edição de 2021 da prova, se assim o desejarem. Para cancelamento e outras dúvidas, os atletas poderão entrar em contato pelo e-mail: contato@maratonadorio.com.br. Em suas redes sociais, a Maratona do Rio conta conteúdos desenvolvidos por especialistas parceiros do evento, que dão dicas de assuntos relacionados ao esporte, como saúde, exercícios e alimentação para quem deseja manter uma rotina saudável de treinos sem sair de casa. Mais informações no site do evento www.maratonadorio.com.br

sexta-feira, 13 de março de 2020

Comunicado Oficial: Ultramaratona 12 e 6 horas de Macaé

Boa noite Ultras! Após muitas reuniões com as autoridades competentes de Macaé na luta por nosso evento , pois sabemos que muitos vem de longe e muitos treinaram pesado para esse dia, é com muita tristeza, mas tivemos que adiar nossa Ultramaratona conforme comunicado acima.  Já estava tudo pronto para a grande festa.  Contamos com a compreensão de todos!!!

quinta-feira, 12 de março de 2020

Testando o tênis Nike Vaporfly

Já que o assunto no mundo das corridas é o novo tênis da Nike Vaporfly e ultimamente é o tênis de corrida mais cobiçado por vários corredores em que o modelo tem placas de carbono e promete deixar o corredor 4% mais veloz, ajudando os corredores a atingir desempenho máximo e, agora, com ainda mais leveza a cada passada. Ainda mais que é o queridinho do atleta de elite como o maratonista mais rápido de todos os tempos o queniano Eliud Kipchoge.
 
Então no treino de hoje pela manhã tive a oportunidade de testar ele na pista. Pois o amigo Luis da Equipe + Velozes estava correndo com ele e me emprestou para testar (muito obrigado). Deu para notar que é um tênis de performance que destaca-se pela leveza, apesar de ser robusto com um drop de 10 milímetros que pesa 198g é muito levíssimo, não é pesado. Eu calcei e trotei com ele por uns 100 metros e deu para perceber que é um tênis muito diferenciado. Dando uma pesquisada na internet vi que o tênis tem a pisada neutra e o valor custa acima de 1.000 reais.
Bom, para finalizar o assunto NIKE VAPORFLY, é um tênis de performance, é um tênis bem caro. Para quem corre longas distâncias por ser muito leve tem a vida curta, mais é um tênis de competição e não um tênis para rodagem nos treinos. Não existe milagres para se fazer resultados, para um atleta ter bons resultados tem que ter o sacrifício de levantar cedo e fazer uma boa preparação nos treinos.

É claro que um bom tênis ajuda sim no conforto ao correr, tudo que vier pra somar é válido, o que não pode é achar que somente ele vai te dar vitórias, o tênis é bom, mas deixe de treinar pra ver se consegue algum resultado. Se o atleta não estiver bem preparado pode esquecer que não adiantará em nada esse tênis vaporfly, não espere milagres sem esforço e dedicação.
 #ficaadica

Por isso eu sempre digo: O treino jamais deve parar.🏃‍💨🇧🇷

quarta-feira, 11 de março de 2020

Brasileiro completa 5000 Km na Grécia

Nessa quarta-feira dia 11 março 2020 o Cléberton Souza - Itaboraí - Rio de Janeiro ao meio-dia (horário de Brasília) realizou mais um sonho. Ele completou nada mais, nada menos que os 5.000 mil Km do Festival de Ultramaratonas na Grécia. Ele levou 55 dias para completar essa prova, finalizando a prova em 3° lugar.

Conheci esse fera alguns anos atrás numa prova de 80 Kms de montanha em Macaé, em 2018 ele venceu os 1.000 Km Brasil e agora completa essa façanha. Cléberton meus parabéns que Deus te abençoe meu amigo.

Ninguém chega há algum lugar sem a ajuda dos profissionais, também não poderia de esquecer de parabenizar o amigo técnico Carlos Zuma que acompanhou o Cléberton nessa prova e se dedicando a ele a fazer uma boa prova.

Parabéns meus amigos!!!

segunda-feira, 9 de março de 2020

NOTA OFICIAL: MARATONA DO RIO

No último sábado dia 7 domingo março 2020, a imprensa divulgou que o trânsito da Avenida Niemeyer teve a liberação parcial.

Em casa de chuva ou vento forte, existe risco de quedas de pedras ou deslizamentos e a via volta a ser fechada pela Prefeitura do Rio.

Por isso, prezando sempre pela segurança dos nossos corredores, vamos manter o percurso divulgado nas nossas redes.

Para as provas de 42K e o Desafio da Cidade Maravilhosa, à largada e a chegada será no Aterro do Flamengo. A prova largará seguindo em direção ao Centro, passando pela Pça XV, Rua 1º  de Março, entrando pela primeira vez no 1º Distrito Naval (como na Maratona Olímpica), contornará o Museu do Amanhã na Praça Mauá, seguindo pelo Boulevard Olímpico até o AquaRio, retornando pela via Binário, seguindo pela Av. Venezuela até entrar na Rua 1º de Março, contornará o Museu Histórico Nacional, seguindo pelo Aterro, Botafogo, Copacabana e Ipanema, fará o retorno no final do Leblon em direção ao Leme, para voltar ao Aterro do Flamengo no mesmo local da largada.

Visamos sempre proporcionar a melhor experiência para os corredores, com qualidade técnica e responsabilidade de se segurança.