terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Pomada massageadora Fisiofort+ Premium



Quem nunca sentiu aquela dorzinha no músculo do corpo no dia seguinte após algum esforço físico mais intenso?  Mas antes que a dor apareça você pode evitar.

A dica de hoje é a Pomada massageadora _*FISIOFORT+ PREMIUM*_.
É um produto coméstico elaborado com extratos vegetais típicos da flora brasileira. Sua função é promover o relaxamento corporal e auxiliar no alívio da sensação do cansaço corporal após exercícios físicos, má postura ou esforço exagerado.

Essa pomada é um cão...Excelente demais pode estar fazendo o tempo que tiver fazendo, ainda mais se tiver fazendo calor, após a massagem você senti um frio congelante eu até ponho casaco...rss

Ela é aprovada por médico dermatologista. Valor custa em média de R$ 10 a R$ 15 reais. Produto vendido em casas de produtos naturais, feiras e em várias lojas pela internet.  Produto barato e se o produto é bom eu não posso deixar de recomendar aos amigos corredores.

Competição nº 469 - Corrida de São Sebastião 2020

Distância: 10 Km;
Tempo: 43 min 39 seg;
Pace por Km: 4 min 21 seg;
Local: Aterro do Flamengo;
Colocação Geral: 53°;
Colocação Faixa Etária: 6°; e
Total de Corredores: + de 1 mil Corredores.









Foi realizado nessa segunda-feira feriado dia 20 janeiro 2020 à Corrida de São Sebastião no Aterro do Flamengo, com os seguintes percursos 10 Km e 5 Km. Esta corrida é um evento esportivo tradicional da cidade do Rio de Janeiro, fazendo parte do calendário de eventos oficiais da cidade. A prova contou com ótima estrutura e foi organizada pela Spiridon Eventos.
Kit da prova
O dia amanheceu com o tempo meio nublado, não achei que estava abafado mas teve alguns corredores falando que estava. Como larguei na Elite B, tão logo cheguei no Aterro fui para área VIP, onde me aprontei e guardei os meus pertences na área VIP mesmo. Fiz um pequeno aquecimento de uns 10 minutos e retornei para área VIP para me hidratar. Faltando alguns minutos para à largada o locutor da prova chamou os corredores da Elite A e B, fui me posicionei na largada da área da Elite B. Faltando uns 5 minutos para à largada fui ligar o meu MP3 que sempre coloco no pescoço e cadê o MP3??? Putz...lembrei só posso ter esquecido no  no banheiro químico da área VIP. Saí correndo rápido em direção ao banheiro químico da área VIP, alguns corredores que me conhecem não entenderam nada, mas depois expliquei o que houve..rsss...Para minha sorte ninguém da área VIP tinha entrado no banheiro...recuperado o MP3 retornei imediatamente para a área de largada...kkkk.
Antes da largada
Às 7:25h foi dada à largada para os atletas PCDs e às 7:30h em ponto foi dada à largada para os demais corredores, A estratégia foi largar forte para pegar a medalha especial TOP 100 que acabou dando certo no final. Veio o primeiro quilômetro 3 min 51 seg...Eita muito forte, tratei logo de diminui a velocidade...Corremos uns 2,5K até em frente ao Monumentos dos Pracinhas onde fizemos o retorno e voltamos pelo outro lado do Aterro correndo. Passamos ao lado onde os corredores dos 5 Km concluíram a prova, continuei com outros corredores dos 10K correndo indo em direção a Botafogo, passei pelo 5 Km com 21 min 19 seg, mas alguns metros a frente fizemos o retorno e retornamos para o Aterro...Passei pelo 6K, 7K, 8K e 9K, faltava 1 Km para terminar onde dei o sprint final concluindo os 10 Kms em 43 min 39 seg  chegando em 53° colocado geral e 6°na minha faixa etária. Em relação ao ano passado diminui  em 2 minutos.
E foi dada à largada

Em alguma parte do percurso
Sprint Final...vaiiii...
Missão cumprida
Depois de terminado a prova e ter feito o social com os amigos corredores, retornei para casa no maior estilo treinando mais 30Km. O treino começou às 10 horas da manhã a temperatura estava quente, mas mesmo assim continuei em frente, em alguns pontos da cidade do Rio ventava o que ajudou bastante. Finalizei o longão 2h 36min 9 seg. Quem quer conquistar,então o treino jamais deve parar...Fica a dica!!!
Avaliação da Prova:
Inscrição: As inscrições custaram R$ 70 à R$ 120 reais, eu fui convidado e a minha foi gratuita...Ponto positivo;
Kit: Para quem foi VIP que nem eu recebi em casa o meu kit, para os demais corredores foram entregues 2 dias antes da prova em um shopping do Leblon. Recebi: 1 caixa de papel com a logomarca da Maratona do Rio, 1 número com chip, 1 número Hub Maratona do Rio, 1 braçadeira para celular, 1 squeeze, 1 cinto de hidratação, 1 pulseira VIP, 1 cartaz explicando a prova e 2 adesivos.
...Ponto Positivo;
Guarda volumes: A organização disponibilizou uma grande espaço com vários staffs para que guardássemos nossos pertences. Já eu guardei a minha mochila no Guarda Volumes da área VIP. Onde o Staff recebia nossos pertences colocava em uma sacola plástica grande. Tanto na entrega, quanto no recebimento da minha mochila não tive nenhum problemas...Ponto positivo;
Altimetria: Leve...Ponto positivo;
Percurso da prova: Foi todo plano e de asfalto, onde corremos até o Monumento dos Pracinhas 2,5 Km e fizemos o retorno pela outra via do Aterro indo até Botafogo 6,5 Km e retornamos pelo outro lado do Aterro finalizando os 10 Kms, durante o percurso teve todas as placas de Kms, staffs fiscalizando e sem nenhum trânsito...Ponto positivo; 
Posto de hidratação: Muito bom, a organização disponibilizou durante o percurso vários postos de água, na chegada e na área VIP...Ponto positivo;
Posto Médico: No local havia equipe médica com ambulâncias...Ponto positivo;
Banheiros: No local foi disponibilizados banheiros químicos e na área VIP também tinha...Ponto positivo;
Lanche: A finalizar a prova não fiquei na fila aguardando  pegar o lanche porque na área VIP também tinha. Os corredores receberam algumas frutas, água gelada e 1 garrafa de gatorade...Ponto positivo;
Medalha de participação:  Os 100 primeiros corredores ao finalizar os 10 Kms receberam um lindo Medalhão TOP 100 dourado medindo 10 cm de altura x 10 cm de largura. Na frente vindo escrito o nome da prova, vindo escrito a Corrida mais charmosa do Rio, vindo escrito TOP 100 e  o desenho dos pontos turísticos do Rio como o Pão de Açúcar e o Corvovado. Atrás vindo os nomes da SPRIDON, APPAI, PREFEITURA DO RIO GOVERNO DO RIO e vindo com uma fita personalizada na cor vermelha vindo escrito o nome da prova. Já os demais Corredores que não conseguiram a medalha especial dourada TOP 100 e os corredores do Km 5 receberam uma medalha menor...Ponto Positivo;
Premiação: A organização da prova premiou os 3 primeiros colocados masculino/feminino dos percurso de 10K e 5K com troféus e brindes...Ponto positivo;
Premiação na Faixa Etária: A organização ainda irá fazer a premiação das faixas etárias...Ponto positivo;
Resultado da prova: A prova foi cronometrada pela empresa Chiptiming, com dois tapetes de marcação um na largada e outro no retorno em Botafogo e o resultado encontra-se  no site www.chiptiming.com.br...Ponto positivo; e
Prova: A Corrida de São Sebastião é um evento esportivo tradicional da cidade do Rio de Janeiro, fazendo parte do calendário de eventos oficiais da cidade. A prova contou com ótima estrutura é realizada e organizada pela Pela Spiridon Eventos.. É uma ótima corrida, bem organizada e recomendo a todos. Após a premiação no pódio a organização realizou vários sorteios de brindes para os Corredores inscritos. Agradeço a Spiridon Eventos (João Traven e toda Equipe envolvida) pelo apoio total nessa prova.  Parabéns a todos que participaram desta corrida.


Nos vemos na próxima linha de largada.🥇🏃🏾‍♂️💨🇧🇷  

sábado, 18 de janeiro de 2020

Pensamentos na primeira corrida da vida.

"Pensamentos na primeira corrida da vida (seja de qualquer distância)."
Na largada: “Não deve ser tão difícil, senão não teria tanta gente sorridente aqui”
2 minutos de prova: “Não falei? To tranquilo. Acho que vou até dar uma aumentada no ritmo!”
3 minutos : “Caramba, não tem água nesta corrida? Acho que já corri uns 4 km e nada de água” (correu 700 m)
5 minutos: “Affe, que calor! E essa dorzinha na canela tá começando a incomodar...”
10 minutos: “Meu Deus, o que eu to fazendo aqui? Nem to sentindo as pernas mais”
11 minutos: “O pior é que se eu desistir agora, vou ter de voltar tudo andando. Vou tentar mais um pouquinho”
25 minutos: “Definitivamente este esporte não é prá mim!!! Nunca mais na minha vida eu corro de novo. Isso aqui é para doido!”
Final da prova: “Estou vendo o pórtico de chegada. Vou dar um trotezinho e sair bonito na foto!”
1 minuto após pegar a medalha: “Que medalha mais linda! Caraca, me superei! Quem falou que eu não ia conseguir? Quero ver a cara dos manés que disseram que eu ia desistir! (Foto, foto, foto, selfie com a medalha, com o cronômetro da chegada, fazendo raio do Bolt, foto com o kit pós prova, foto com a moça que entrega o kit, foto comendo a banana, foto com a medalha em cima do tênis)
2 minutos após o término da prova: “Ai...não tem uma parte do meu corpo que não esteja doendo...nem sei porque estou sentindo esta sensação tão gostosa de euforia!”
2 minutos e meio após a prova: “Mano...chegando em casa vou tomar banho, trocar de roupa e procurar na internet se tem outra corrida baratinha para fazer ainda este mês!”
É bem assim mesmo....🏃🏾‍♂️🏃🏾‍♀️💨🇧🇷

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Estamos cuidando da nossa saúde mental?


Por  Letícia Oni Laurentino
Atleta Asics Front Runner - Brasília

Cuidar da nossa mente é tão importante quanto cuidar do nosso corpo.

Falamos frequentemente sobre os benefícios irrefutáveis da atividade física; acreditamos no papel de um bom nutricionista quando buscamos uma alimentação mais equilibrada e saudável; nos submetemos a check-ups anuais com diversas especialidades médicas, etc. Mas quando o assunto é a nossa saúde mental, será que tratamos com o mesmo cuidado?

"Anima sana in corpore sano" é a expressão latina que deu o nome e que move a marca ASICS. Na literalidade, significa “mente saudável em um corpo saudável”. Isso significa que as duas coisas estão interligadas: para ter um corpo saudável, nossa mente precisa estar bem. Gosto de dizer que corpo e espírito estão em constante busca de equilíbrio. Isto é, quando nossa mente está desequilibrada, a tendência é que a gente perceba sintomas em nosso corpo. O mesmo ocorre quando o corpo não está tão bem: nossa mente tende a se perder um pouco, pelo menos por alguns instantes. Por isso a importância de cuidar da mente tão bem quanto cuidamos do corpo.

É claro que quando nos dispomos a fazer atividade física, já estamos, de certo modo, cuidando do corpo e da mente. O que quero dizer aqui é que é muito fácil, em um momento de desequilíbrio emocional, nos encaminharmos para opostos: às vezes para o excesso, outras vezes para o isolamento. Isto é, em fases difíceis, enquanto algumas pessoas abandonam as coisas que mais amam fazer, outras partem para o exagero.

Explico. Às vezes, buscamos refúgio para os problemas em algo que amamos. Tem gente que se esconde no trabalho, na bebida alcoólica, na comida. Por que não aconteceria com o esporte?! Nós, imersos no ambiente esportivo, puxamos peso, aumentamos a carga de treino sem motivo, corremos mais forte ou mais longe que o necessário...Tentamos esconder algo que nos falta nos excedendo em outras áreas da nossa vida. E, no fim das contas, o que precisamos é de alguém que nos ouça e nos auxilie.

A minha experiência foi no ano passado. Tive muitos momentos complicados. Não tenho dúvidas de que a corrida foi o meu maior refúgio e me manteve sã por um bom tempo. Mas finalmente percebi que, na maioria das vezes, não é o suficiente. No meu caso, por exemplo, comecei a usar a corrida para fugir de tudo o que estava sentindo. Estava triste, ia correr. Estava com raiva, ia correr. Tinha um dia ruim, ia correr. Alguns dias, quanto mais cheia estava minha cabeça, mais rápido e forte eu tentava correr. Percebi que quando eu não sabia lidar com um sentimento, eu usava a corrida para abafar o que estava sentindo. O que esse padrão me causou? Abafei meus sentimentos por algum tempo e não lidei com eles de maneira apropriada. Após um tempo, perdi a vontade de correr. E acabei agravando o processo de estafa mental que já estava instalado.

Usar o esporte como terapia pode ser uma das saídas para manter a mente saudável e em equilíbrio com o corpo. Porém, não podemos esquecer que, em determinados casos, só um profissional será capaz de desenrolar o misto de sensações que nos rodeiam. A tendência é que, não lidando bem com nossas emoções, canalizaremos em outros aspectos da vida. Acabamos por maltratar o corpo e buscamos esquecer sensações que precisam ser sentidas e cuidadas, gerando desequilíbrio e adoecendo o corpo e o espírito. 

Tão importante quanto a planilha de treinos é a nossa saúde mental. Não podemos abrir mão. E se nos valemos do esporte (ou qualquer outra coisa) para abafar sentimentos, talvez seja necessário recalcular a rota e olhar para dentro. Só assim será possível alcançar o equilíbrio da mente sã em um corpo são.

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Corrida nº 468 - Ultradesafio Vale do Café 150K

Nesse final de semana sábado e domingo, dias 11 e 12 janeiro 2020 o munícipio de Miguel Pereira - Rio de Janeiro foi palco do Ultradesafio Vale do Café 150K. Não foi uma competição mas sim um ultra treino nas montanhas do  Vale do Café. Organizado pelo amigo Leandro Simoni que morador local.

Hoje, a cidade tem forte vocação para o turismo com várias atrações turísticas e desfruta da fama de ter um dos melhores climas do mundo. Pois o Vale do Café é a denominação turística para o conjunto de 15 municípios da região do Vale do Paraíba do Sul Fluminense, localizado a cerca de 120 km da cidade do Rio de Janeiro. São eles: Miguel Pereira, Vassouras, Valença, Rio das Flores, Piraí, Engenheiro Paulo de Frontin, Paty do Alferes, Paracambi, Mendes, Barra do Piraí, Pinheiral, Barra Mansa, Paraíba do Sul e Volta Redonda que, na década de 1860 produziam 75% do café consumido no mundo todo e garantiam ao Brasil a condição de líder mundial na produção e exportação de café. Hoje, a cidade tem forte vocação para o turismo com várias atrações turísticas e desfruta da fama de ter um dos melhores climas do mundo.

Como não conhecia o local, aproveitei para ir conhecer a cidade, rever os amigos e também fazer aquele belo treino com os amigos. Saí de casa às 4:20h da manhã encontrando com os amigos João e Cirilo na Av. Brasil, rumamos para o local do treino, chegamos em Miguel Pereira por volta das 6:50h, onde o amigos já estavam no local nos aprontamos rapidamente. 
Turma reunida em frente ao lago Javary
Após algumas palavras do amigo Leandro e realizada uma oração que foi muito válida para o treino, iniciou-se às 7:30h da manhã com aquele dia lindo fazendo muito sol em frente ao lago Javary. Compareceram ao treino 14 Corredores, mas nem todos correram os 150 Km, alguns correram 18K, 31K. Fui correndo e registrando todo o local histórico, lugar ao mesmo tempo maravilhoso e desafiador para treinos em montanhas
E vai começar a festa...
Começamos a correr pelo asfalto na cidade mas logo, logo começamos a correr na terra batida, às 10 horas o astro rei já começou a esquentar e muito. Foi feito dois grupos o Leandro Colli e o Adriano Ribeiro resolveram irem mais rápido indo a frente de todos, já Eu, Leandro Simoni, João Barros e o João Cirilo fomos no segundo grupo porque com o dia muito estava quente demais e no inicio do treino preferimos ir mais devagar porque o percurso era difícil. Lá pelo Km 20 veio uma enorme subida que era impossível todos subirem correndo e como o treino jamais deve parar a solução foi subir montanha acima caminhando. Durante o dia e a noite a temperatura esquentou muito e tivemos que hidratar muito bem para não quebrar. Após essa montanha subimos e chegamos no Vale das Videiras - Petrópolis com 30Km, resolvemos parar rapidamente para comprar água e tão logo nos reabastecemos prosseguimos no treino, foi quando um cachorro local chamado Caramelo resolveu nos acompanhar, como essa parte era asfalto e a temperatura quente demais falei com os outros amigos que o cachorro não deveria nos acompanhar por causa da temperatura alta, todos concordaram fizemos de tudo para que o Caramelo retornasse de onde ele veio, mas o Cirilo falou que em outra prova ele fez o mesmo e continuou nos seguindo pelo asfalto correndo até uns 3 kms, ele só parou de nos acompanhar porque em um comércio tinha outros cachorros e ele resolveu ficar por lá.
Chegando em Videiras
Ultra Caramelo nos acompanhando
Uma das inúmeras subidas íngremes que subimos
Prosseguimos no nosso treino por volta das 13 horas da tarde chegamos em Sardoal com 40 Kms percorridos, com o sol brilhando e a temperatura cada vez mais quente paramos novamente para comprar água, equipamos e prosseguimos em frente correndo por volta das 16:30h o tempo começou a mudar as nuvens apagaram o brilho do astro rei e começou a relampiar e ventar muito forte, após uns 15 minutos a chuva veio e durante o percurso numa fazenda de plantação de pimentão havia uma cabana na beira da cerca aproveitamos para parar alguns minutos para vestir o anorak e seguir em frente, após equipados, prosseguimos avançando morro abaixo e a chuva cessou. Chegamos em Avelar com 59,5 Km, tivemos que parar mesmo para comer e abastecer com água, paramos numa padaria porque o próximo percurso seria na estrada deserta por quase 27 Km e não teria nenhum comércio por perto e assim fizemos.
 Vamos que vamos que o treino jamais deve parar turma...
Às 19 horas escureceu e tivemos que ligar as lanternas e prestar muita atenção durante o percurso, porque com o piso de cascalho, com muitas pedras e inclusive em alguns lugares do percurso devido as chuvas ter caído no local barrancos dos morros e abriram buracos grandes nas estradas e qualquer topada a noite já viu né? Não poderíamos dar mole pros acidentes. Por volta das 20 horas com 72 Kms o Cirilo começou a não sentir bem e tivemos que aguardar ele mais a frente e com isso começou a atrasar muito o treino. Mas prosseguimos pelas estradas caminhando muito com ele ao nosso lado. Por volta das 21 horas não lembro o nome do local mas chegamos num local onde tinha uma lanchonete e resolvemos parar para repor as energias comendo e hidratando.
Rumo aos 150K
No Km 95 à meia noite, chegou o nosso apoio (Lucila, Sandra, Eliane e Wanderley) vindo de carro trazendo uma boa macarronada com purê e carne moída, isotônico e água foi uma maravilha essa reposição que ajudou muito. O apoio de carro nos falou que o Adriano e Leandro estavam indo mais a frente já estavam esgotados e andando. Às 1:30 hora da madrugada do dia 12 janeiro completamos durante o percurso 100Km...Ainda faltava 50Km...Às 2 horas da manhã alcançamos a cidade de Juparanã. Às 3 horas da manhã todos já estavam esgotados, mas continuamos seguindo em frente o Barros e o Leandro continuaram caminhando com o Cirilo que não estava bem, resolvi ir mais a frente correndo sozinho para ver se alcançava o Adriano Ribeiro e o Leandro Colli, corri 10 Kms e nada de ver eles que estavam mais a frente, cheguei numa bifurcação da rodovia como o Leandro Simoni era o nosso guia do percurso e não sabia se seguia para direita ou para esquerda resolvi parar num ponto de ônibus aguardando a galera chegar.
Durante a madrugada
Por volta das 4:30h da manhã o grupo se reuniu e chegamos  num posto de gasolina em Vassouras onde compramos água e seguimos em frente. Às 5 horas da manhã com 117 Km percorridos o dia clareando alcançamos a cidade de Tinguá numa bela subida de asfalto. A partir daí o grupo se desintegrou como o Cirilo não estava aguentando correr e só caminhando ficou para trás o Leandro prosseguiu a  frente, logo em seguida fui eu começando a correr sozinho e o Barros mais atrás. Alcançamos a cidade de Piraui com o sol quente demais o piso de cascalhos continuando maltratando os nossos pés. Com uns 130Km percorridos na cidade de Vargem do Manejo resolvi diminuir de correr e o Barros me alcançou e resolvemos ir juntos até o final, indo um dando forças ao outro, principalmente o Barros que tinha dito que os pés dele estavam cheio de bolhas, íamos indo alternando caminhando e correndo. Chegamos num local que não me lembro o nome e o Barros pediu água a um morador que o mesmo nos deu uma garrafa de 2 litros dágua bem gelada que ajudou muito na recuperação, agradecemos e continuamos no percurso. Lá pelo Km 140 o Ciclista Amaral que tinha nos passado pedalando por nós mais atrás retornou dizendo que o Leandro Simoni estava mais a frente fazendo umas marcações com setas no chão da estrada e que era para nós prestar atenção nas setas para não nos perdermos nas bifurcações, agradecemos e seguimos em frente. Depois mais a frente veio ao nosso encontro de moto para nos apoiar a Eliane e o Wanderley trazendo café, água, bolo e banana que ajudou muito e nos disse que estava faltando uns 15 Km para terminar o percurso, achamos estamos estranho porque no GPS do Barros marcava 140Km, agradecemos e prosseguimos em frente hora descendo e hora subindo...Ao chegar num determinado percurso de uma subida enorme encontramos mais um carro de apoio com a Lucila e a Sandra com água, isotônico e bolo. Comi um pedaço de bolo, bebi isotônico e prosseguimos rumo a linha de chegada, subíamos, subíamos e subíamos e nada de ver o topo da montanha que subida enorme era essa, quanto mais subíamos ficava mais íngreme e nada de ver a descida essa subida deu entorno de uns 30 minutos subindo caminhando porque era impossível correr devido ao nosso estado de esgotado e bem íngreme o percurso, quando chegamos ao cume dessa montanha já não tínhamos pernas para descer correndo forte, descemos cautelosamente para não nos machucarmos.

Alcançamos a cidade de Miguel Pereira, ainda faltava alguns Kms para terminarmos, o GPS do Barros tinha acabado a bateria e não dava para ver quantos Kms faltava para chegar ao ponto final. E para completar ainda próximo da linha de chegada veio outra subida bem íngreme, subimos e descemos e paramos rapidamente para perguntar num bar onde era o lago Javary, um senhor nos informou dizendo que faltava 1,5Km para chegar no lago, prosseguimos e às meio dia e vinte minutos finalmente chegamos no Lago Javary, cansado, esgotados demais, porém muito feliz por ter concluído a missão de correr pelas montanhas de Miguel Pereira 150Km...Ufaaa...
Obrigado meu Deus por mais um desafio realizado
Miguel Pereira é uma linda cidade, histórica, turística, mas para nós corredores aquela cidade com o piso de cascalhos de pedra e muitas subidas íngremes foi muito difícil para os 6 corredores (Jorge Cerqueira, João Barros, Leandro Simoni, Leandro Colli, João Cirilo e Adriano Ribeiro) que completaram os 150Km e olha que já corri provas bem dificil hein mas como esse percurso de Miguel Pereira é fogo. Eu e o Barros falamos que nunca mais voltamos lá para correr, mas sabe como é corredor né no auge da adrenalina lá em cima, sempre volta...KKKK...Para realizar um treino desse o corredor tem que estar muito preparado psicologicamente como fisicamente porque o percurso é bem hot. Porque tem momentos de alegrias, de dores  e a mente tem que ser forte porque senão não aguenta.

Gostaria de agradecer a Deus por mais essa oportunidade, ao amigos Leandro Simoni e o João Barros pelo invenção desse treino doido..kkk..E não poderia de esquecer de agradecer especialmente aos que nos apoiaram antes, durante o percurso e depois levando comida, água e isotônico: Lucila, Eliane, Sandra e Wanderley...Muito obrigado vocês foram fundamental para que nós terminássemos esse Ultradesafio.
Equipe de apoio nota 1.000...Muito obrigado!!!
Parabéns a todos!!!