segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Dor...

Devido algumas mensagens recebidas pelos amigo(a)s no post anterior, tive a necessidade de escrever este post, talvez você possa também se identificar com o texto abaixo...Vale a pena dar uma lida.

Arrisco dizer que a dor é um bom presságio na busca de um objetivo maior. Como atleta, já senti dor de todos os tipos. Treinando, competindo, nas sessões de musculação e etc e etc...Lesões próprias de um atleta que me fizeram saber conviver com essa dificuldade.

Daí surge a pergunta que muitos já me fizeram e muito também me fiz: vale a pena enfrentar a DOR, seja física ou psicológica? Não sei para vocês mas para mim é certo que SIM...Não tenha dúvida de que, em minha vida, essas dores físicas, em muitos casos, precederam momentos de alegria sem medida. Lembro-me, como se fosse hoje, dos momentos em que levei o meu corpo ao limite do treinamento, em contrapartida atingi o ápice do condicionamento físico. Isso já me fez voar nas corridas, partir para cima com toda velocidade. Lembro-me como se fosse hoje em que alguns dias, longe de minha família, do conforto do lar, sindo ainda hoje - como sentimento em retardo - a dor dessas distâncias. Mas lembro também que por isso trouxe algumas vitórias, uma medalha, um troféu o carinho dos amigo(a)s, o orgulho da família e a glória do dever cumprido.

Imagina que doa ter que acordar muitas das vezes de madrugada para treinar algumas horas antes de ir trabalhar, dia após dia, semana após semana, mês após mês. Mas também sei que a noção de tempo é algo que está fora do nosso controle, e passa - não duvidem disso - extremamente rápido. Se a perseverança estiver presente em nossos corações e conseguirmos, concomitantemente a isso, perceber que a dor é um aviso-prévio para o SUCESSO, uma orientação do corpo ou do cérebro dizem em voz baixa nos nossos ouvidos "você cumpriu a sua tarefa", você fez a sua parte" se entendermos que todo esforço verdadeiro nos coloca em vantagem frente aos nossos concorrentes ou opositores, decodificaremos a importância da dor, o valor do sacrifício, a purificação da alma; saberemos que o significado da palavra VITÓRIA é muito mais do que fazer algo em determinado momento, mas sim fazermos muito, antes do momento derradeiro para, sim, sermos merecedores da desejada e cintilante vitória final.

Quem não sente uma dor mais forte durante um pequeno período da vida, corre o risco de sentir dor durante toda a vida.

ACREDITAR SEMPRE PARA CHEGAR À VITÓRIA

Para nós atletas e ainda mas sendo amadores, são vários os dias em que nos pegamos diante de dificuldades. Compromissos diários, contas a pagar, trabalho, relações humanas instáveis e, não raro, FALTA DE APOIO para realizarmos nossos objetivos nas corridas.

Nesse momento lembro de já ter ouvido de muitos amigo(a)s me dizendo que eu sou corredor de elite, que corro muito, digo à todo(a)s que não sou, pois sou corredor amador que nem vocês, um bom atleta não se faz do dia para noite, são anos que leva para ele ser lapidado, isso leva tempo, é como fosse um pedreiro construindo uma casa, em que ele vai assentando tijolo por tijolo e é assim é formado um atleta, acordando bem cedo, treinando às vezes com dor, sob sol, sob chuva e etc e etc...Nesses 09 anos no mundo corrístico, pude vivenciar muitas coisas, também a corrida me proporcionou várias coisas e dentre elas foi conhecer inúmeros amigo(a)s virtuais e reais, me lembro de um amigo Ultramaratonista daqui do Rio de Janeiro chamado Luiz Plácido em que ele sempre está correndo com uma camisa em que está escrito ACREDITAR SEMPRE, esse é um dos dos exemplos de incentivo que nos faz acreditar que tudo que estamos fazendo no que se refere a motivação, melhoria da qualidade de vida, busca de saúde e resgate de auto estima, tudo isso são realmente importante.

Enquanto não tivermos um objetivo, uma meta, ou um sonho, claro que fica muito difícil de evoluir e se desenvolver. Eu aprendi isso, e muitos bem nesses últimos anos.

Então meus amigo(a)s vamos acreditar sempre, você pode, você tem potencial, então supere também os seus momentos de dor, seja ela física ou psicológica, transforme sua vida. Lhe digo uma coisa que vale a pena sim.

Bons treinos!!!

20 comentários:

cesinha disse...

Jorge,
A dor é companheira do atleta, e o gelo quase nosso irmão.
Quem treina forte, buscando resultados, conhece bem esse drama que você descreveu.
Mas a alegria da chegada apaga tudo que ficou de ruim nos treinos.
Abs e bons treinos!

GILMAR FARIAS disse...

Jorge,
Amanhã não vou correr com o meu grupo por conta dos compromissos profissionais. Mas tenha certeza que vou colocar o tênis e correr assim que puder, muitos quilômetros, superando qualquer obstáculo. Esse texto deve ter motivado todos os seus leitores. Parabéns!
Grande abraço!
Gilmar
http://www.fotocorridagilmar.blogspot.com/

Anônimo disse...

Boas Jorge
exclente comentário Jorge, parabéns. e Força nesses treinos e competições.
abraço
AB - Tartaruga

cesinha disse...

Jorge,
Obrigado pelo comentário lá no blog
http://cesinhanascorridas.blogspot.com/

Twitter: @supercesinha

Abs!

Rodrigo Xavier disse...

Belo texto Jorge!

Muito motivador... realmente "sem dor, sem valor"...

Continue nos transmitindo esta energia irmão.. vc não faz idéia de quanto isso nos ajuda crescer!

Abraço.

Rodrigo Xavier
http://meucorpoativo.blogspot.com/

Fábio Namiuti disse...

Parece óbvio, mas nem sempre é. Existem dores e dores. Algumas a gente deve relevar, outras não. Umas passam quando o corpo esquenta. Outras pioram quando esfria. Umas são coisa à toa, outras são coisa séria, podem ser lesões que nos impedem de fazer o que gostamos. Aí fica ruim...

Que suas dores sejam sempre as do primeiro tipo, meu amigo! Experiente e conhecedor da própria máquina como é, que você sempre saiba diferenciá-las e se manter em atividade, inteiro, firme e forte por muitos e muitos anos.

Abraço!

Fábio
http://www.fabionamiuti.hd1.com.br

Dona D disse...

Oi Jorge!!!

Texto cheio de motivação. Gostei muito.

Não sou de me importar com as dores não. Geralmente sigo em frente. Sempre.

Um abração!

Thiago Melo disse...

Bom texto Jorge...independente da crença de cada um: A vida (ou essa vida) é uma só...não tem segundo tempo.
Abraços,
Thiago Melo
http://corredoraprendiz.blogspot.com/

Rinaldo disse...

Olá Jorge,

Muito bom este texto, ótima reflexão!

Se não fosse a dor, passaríamos dos limites sempre, e a nossa existência no esporte e nesta vida seria muito curta.

Abraços!

Claudio Rinaldo
http://numerodepeito.blogspot.com/
http://cicloviadigital.blogspot.com/

Sergio disse...

Jorge,
Concordo que uma dose de dor faz parte da rotina de quem treina. O problema é quando a dor é um sinal do corpo de que há uma lesão mais séria a caminho. Nesse caso insistir pode piorar muito a lesão e, as vezes, o que significaria uns 3 ou 4 dias sem treino pode se transformar em 3 semanas ou mais. Um exemplo é a fratura por stress. Muitas vezes a pessoa insiste e depois a recuperação é bem mais lenta. Acredito que após tantos anos de treino e com um volume tão grande você sabe identificar essa dor e que, no seu caso, tenha sido realmente passageira. É natural que com uma carreira longa no esporte e com poucas contusões você seja menos conservador com as dores. No meu caso já foram tantas contusões que ao menor sinal já fico alerta e reduzo o volume. Cada um conhece seus limites. Bons treinos para você!
abraço,
Sérgio
corredorfeliz.blogspot.com

Dani disse...

Oi Jorge. Adorei o post e me deu um ânimo maior pra seguir em frente. Vc pra mim sempre será uma referência.
Bjos,
Dani

Marli disse...

Legal JOrge seu post, eu gostei muito, seu post tem muitas verdades que tenho vivido no sentido de levantar cedo para treinar e de sentir dor, mas não de estar lesada e sim de rendimento nos treinos... eu gostei muito vc sempre dando lições de vida falando da experiência vivida...
\o/simbora treinar
\o/ simbora correr
www.marlipalugan.blogspot.com
Twitter:@marlipalugan

walter disse...

É isso aí Jorge, é que estando lesionado eu me preocupo muito com os amigos, é claro que vc. conhece melhor que ninguém seu corpo e seus limites. Parabéns pelo belo texto. Bons treinos.

Marcus,Realengo disse...

Fala Jorge! Teu texto é um incentivo a todos nós corredores. Devido as várias lesões simultâneas que eu tenho tido, atualmente prefiro parar o treino e ver no dia seguinte como estou. Existem dores e dores e só o tempo de estrada, de quilometragem, nos permite avaliar que tipo de dor estamos sentindo. Um abraço meu camarada e bons treinos. # Agradeço aos que postaram um comentário no relato que fiz aqui no blog do nosso amigo Jorge. Obrigado pelas palavras de incentivo.

elis disse...

oi, jorge!!!

adorei o texto!
acreditar é o caminho para tornar os sonhos realidade!!!
e as grande conquistas a gente consegue com muita dedicação, garra, disciplina e superação, de dores e medos...

parabéns por todas as suas conquistas!
você mereceu cada uma delas;)

um grande abraço!

http://elismc.blogspot.com

Samuel disse...

Oportuno post grande Jorge

Só se consegue obter melhores resultados quando há algum tipo de sacrifício mesdmo para nós atletas amadores.

A corrida nos proporcionar alguns tipos de dores, quer seja no corpo, na mente, no bolso, mas mesmo assim a dor não supera a satisfação que temos pela pratica deste maravilhoso esporte.

A dor pode sinalizar seu limite físico naquele momento, mas não o seu limite emocional que poderá levá-lo a superar essas mesmas dores e conseguir o seu objetivo.

Bons treinos e excelentes corridas.

Dart Araújo disse...

Gostei muito Jorge desta sua postagem. Sentimos dores das mais diversas em nossa vida, qualquer conquista exige sacrifício. Sacrifícios que muitas vezes após as conquistas até esquecemos que tivemos obstáculos. Tenho passado por dois tipos de sacrifício, aliás nas corridas meu único problema é me desvincular de tempo para atingir distâncias melhores, já o meu outro é o enfrentamento dos concursos. Nossa, confesso que me sinto mais feliz quando são para corridas, por que estudar às vezes cansa mais que correr.
Abraços

Carlos Gusmão disse...

Jorge,
Muito bom seu depoimento, principalmente por mencionar uma pessoa que para mim é o maior exemplo de dedicação, superação e luta e seu nome é Luiz Plácido, que com sua frase Acreditar...Sempre! me impulsiona na caminhada da vida. Tive a feliz oportunidade de correr ao seu lado durante 4 anos junto a equipe da Brasil Center. E se hoje busco me tornar um ultramaratonista é graças aos seus ensinamentos.
Um abraço!

tutta disse...

Texto fantástico.


tutta
www.correndocorridas.blogspot.com
Twitter: @tuttacferreira

irmascordeiro disse...

Valeu o post. Muito bem escrito. Uma injeção de coragem e não de analgésico. Bons treinos, poucas dores e obrigada pela visita ao blog. Mariana