segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Competição nº 360 - Cassino Ultra Race 230K

Distância: 230 Km;
Tempo: 39 horas;
Local: Moles do Chuí aos Moles do Rio Grande (Praia de Cassino); e
Total de Corredores de: 71 largaram, mas somente 20 concluíram (17 homens e 3 mulheres).
Foi realizada nos dias 12 à 14 novembro 2015 a 1ª edição da Cassino Ultra Race 230 Km prova realizada pela brasileira Maria Vargas e o Português Paulo Alexandre.

Essa prova para mim começou na BR 135 de 2015 sem eu saber, pois em Janeiro passado a Maria Vargas me ligou informando que o atleta André Castro estava vindo de Portugal para correr a BR 135 Solo e que ele estava precisando de um Pace e me perguntou se poderia ajudá-lo, nunca tinha sido pace em uma Ultramaratona e aceitei o desafio. Após a prova, lá pelo mês de fevereiro recebo uma ligação de Portugal do Paulo Alexandre me falando que por ter ajudado o André na BR 135 eu estaria sendo convidado para correr a Cassino Ultra Race, agradeci o convite meio desconfiado pensando ser um trote, não satisfeito liguei para a Maria Vargas e ela me confirmou que era verdade, fiquei feliz pacas e comecei a me planejar rigorosamente para correr essa ultra que até então a distância maior que tinha corrido em Ultramaratonas era 208 Km em 24 horas. A partir daí comecei a treinar a parte física e psicológica. Como aqui no Rio de Janeiro as areias das praias são de areia fofa, mesmo assim treinei arduamente seja de dia, de noite e a madrugada toda, fiz vários convites aos amigos do Rio que correram essa prova, mas ninguém apareceu, acho que ficaram com medo...rsss...Então treinei, treinei e treinei arduamente para essa prova.

Então após vários meses de treinos e me programando para essa ultra chegou o grande dia de embarcar para essa aventura viajei na 3ª feira para Porto Alegre dia 10 novembro 2015, chegando por volta das 20 horas onde no saguão do aeroporto os amigo(a)s José Luiz e Neivalerte me aguardavam para dar boas vindas (obrigado) e me convidaram para jantarmos, após o jantar fui de encontro a Estátua do Laçador ponto de encontro com os outros ultras que iriam embarcar no ônibus para o Chuí o ônibus saiu por volta das 21:50h e chegamos no Chuí lá pelas 6 horas da manhã de 4ª feira dia 11 novembro 2015. Nos hospedamos na Cabanas El Paraíso. Verifiquei que a minha bolsa estava toda molhada, putz a água da bolsa de hidratação tinha vazado, ainda bem que fez sol e deu para secar as roupas..rsss...Eu e alguns amigos aproveitamos para ir ao Uruguai visitar e fazer umas comprinhas e aproveitamos para tomar o café da manhã lá. Com o dólar alto demais não deu para comprar muitas coisas, mas comprei...rsss...Após retornamos ao local da hospedagem.
Fazendo umas compras no Uruguai
A entrega do kit, almoço e congresso técnico foi realizado no dia 11 novembro 2015 no Clube Beira Mar, próximo onde estávamos hospedados, peguei o kit por volta do meio dia a Prefeitura local nos preparou um belo almoço para todos, pagamos somente a bebida, o Congresso Técnico foi realizado por volta das 16 horas onde foi falado sobre a prova. Foi muito válido ter participado desse Congresso Técnico para quem tinha dúvidas as mesmas foram sanadas. Após isso fomos para as cabanas arrumamos o que iria precisar durante a prova, entregamos as nossas drop bags para a organização, jantamos e fomos descansar...Descansar??? que nada a adrenalina estava alta demais...kkk.
Kit em mãos
No Congresso Técnico
Então chegou 5ª feira dia 12 novembro 2015, nos levantamos às 4 horas da manhã , estava fazendo um baita frio, nos aprontamos e fomos para à largada onde a partir das 5 horas da manhã começou a ser feita a fiscalização dos itens obrigatórios de seguranças dos atletas e em conjunto nos foi servido um bom café da manhã com muitas frutas.

A Cassino Ultra Race reuniu 71 competidores em frente ao Clube Beira Mar no Balneário da Barra em Santa Vitória do Palmar. Corredores oriundos de várias países. A galera como sempre fazendo a maior festa, tirando fotos, conversando e blá, blá, blá...Após algumas palavras dos organizadores fomos caminhando em direção à largada na praia do Chuí. Temperatura estava ótima para correr fazendo um pouco de frio, no local da largada estava a Tv RBS afiliada da Globo onde foi feita algumas reportagens com alguns atletas, tirei algumas fotos com os amigo(a)s e procurei me concentrar. À largada deu-se às 6:20 horas da manhã, liguei o meu MP3 e lá fomos nós correndo na imensidão da praia sem fim em direção a Praia de Cassino (Rio Grande).
A largada
A estratégia para essa prova era largar forte para tentar chegar entre os 10 primeiros corredores. Fui para essa prova com a perna esquerda com fratura por stress, não era para ter ido, o médico tinha me dito para ficar 30 dias sem correr, somente fazendo caminhadas, natação e bike, mas como estava comprado as passagens não teve jeito, fui lá correr...rsss...Então larguei forte nos primeiros minutos da prova o Delino Tomé era o primeiro colocado, em segundo era o Oraldo e Eu era o terceiro colocado, depois de alguns minutos o Delino diminuiu a velocidade e Oraldo e eu conseguimos ultrapassar ele, eu ficando em segundo colocado geral na prova, mas não me empolguei muito porque ainda tinha muita prova para correr ainda, fiz uma estratégia suicida que deu certo, após algumas horas mais atrás vinha o Ariovaldo e o Danilo ambos juntos correndo fortes e me ultrapassaram, pareciam que ambos estavam disputando corrida de 10Km e um deles no final pagou o preço de ter esgotado demais. Eles acabaram me ultrapassando em um certo momento em que a perna começou a doer, não me lembro bem o momento certo, mas acho que foi entre 2 ou 3 horas de prova a ambulância passou e tive que parar porque a perna estava doendo demais o fisioterapeuta Marcos falou para deitar na maca da ambulância, colocou gelo por 20 minutos e após isso colocou esparadrapo pressionando a minha panturrilha, levantei e retornei a prova caminhando por alguns minutos, quando senti mais que não estava doendo voltei a correr e acelerando a velocidade, não lembro muito bem quando cheguei no PC 1, mas acho que foi com 6:30 horas de prova rolando completando 54 Km. Lavei as mãos, reabasteci com água a minha mochila de hidratação, almocei (arroz, carne e ovo), tomei uns copos de coca-cola que com a temperatura quente que estava fazendo caiu muito bem, e não fiz como os outros que estavam na prova descansando, saí correndo para tentar buscar os primeiros colocados, durante o percurso estava ventando pouco, consegui ultrapassar alguns corredores, ao ultrapassar perguntava se estava tudo bem, alguns diziam que estavam bem, outros diziam que estava com dor, mas continuavam correndo ou caminhando e prosseguia em frente, já eu durante o percurso hora escutava música, hora conversava com Deus e hora conversava comigo mesmo...rsss...
Em algum lugar do percurso
Almoçando no primeiro posto
  
Em algum lugar do percurso 
Cheguei no posto de apoio 2 no Farol do Albardão com 87 Km percorridos, por volta das 19 horas com 12 horas e 04 minutos de prova rolando, ventando e fazendo muito frio, entramos dentro da casa de apoio do farol, peguei o meu drop bag e abasteci a mochila, peguei a lanternas para a noite, jantei sopa de legumes e lancei de novo na praia correndo, percebi que nesse posto alguns foram descansar e tomar banho. A noite chegou liguei a lanterna e começou a chover forte, com muita tempestade e raios caindo já ventania estava intensa, peguei o meu corta vento, vesti e percebi que tinha colocado o corta vento errado, era para ter colocado o Anorak e com a tempestade caindo o corta vento não adiantou nada, fiquei todo ensopado dágua e com frio, mas não tem aquele ditado que quem está na chuva não é para se molhar? Pois é então como não sou de desistir dos desafios continuei em frente correndo, a tempestade cada vez mais aumentava, olhava para trás e não via ninguém aparecer, os outros competidores estavam bem longe, mais bem lá na frente o carro da organização com as setas traseiras ligadas hora desaparecia, aí piscava e apagava a lanterna 3 vezes e o motorista do carro ligava a lanterna, quando dava aqueles raios fortes eu só pensava em Deus, na minha família e nos amigos que vinham bem lá atrás de mim a noite toda foi de tempestade com raios e vento que chegaram a 100 por hora contra. Por volta das 05 horas da manhã da sexta-feira do dia 13 novembro 2015, estava já bem próximo do posto de apoio 3, quando avistei um caminhão vindo em minha direção, era o caminhão de apoio do Exército, o motorista do caminhão abaixou a janela e me perguntou se estava tudo bem comigo, informei que que sim e me perguntaram se tinha mais corredores vindo atrás, respondi que sim, mas que estavam bem longe, mal eu sabia que o caminhão tinha saído para resgatar os corredores era para retirar eles da prova por causa do ciclone. Cheguei no posto de apoio 3 com as plantas do pés doendo pacas, reabasteci a minha mochila com água e alimento que iria comer durante o percurso, tomei um copo de café, comi uma banana e como a chuva não tinha passado resolvi esperar um pouco dentro da segunda barraca do do Exército, mal eu sabia que na outra barraca do Exército estavam os terceiro e quarto colocados geral (Felipe e Ariovaldo), se soubesse nem tinha parado, mas fazer o que né, quando deu às 6 horas da manhã, saiu para o percurso Eu, Ana, Carlos, Felipe e Ariovaldo a chuva tinha parado mas estava tendo uma tempestade de areia muito forte, era impossível correr nessa parte da praia, até tentei correr mais fazia muita força, aí veio o Ariovaldo falando vamos andar em fila indiana cada um anda um pouco na frente do outro para ir quebrando o vento, como não sabia se podia fazer esse apoio preferi ir sozinho e o Ariovaldo e Felipe foram andando em fila indiana, já a Ana e o Carlos preferiram ir mais devagar então prossegui andando rápido sozinho, quanto mais andava o vento vinha forte e a areia vinha contra nós essa parte do percurso também foi difícil de concretizar, depois de algum tempo a tempestade de areia diminuiu e deu para voltar a correr, mas já estava cansado e começou a chover coloquei a capa de chuva e prossegui correndo olhava para trás para ver se vinha corredores, vinham sim mas bem longe, por volta das 15 horas cheguei no último posto de apoio 4, completando 177 Km, adentrei a barraca do Exército peguei a minha drop bag, preenchi a minha mochila com o que iria consumir na parte final do percurso, os Soldados do Exército me ofereceram comida (macarrão com carne moída), estava salgada demais, mas não tinha jeito tinha que comer para reabastecer, bebi uns copos de água e coca cola e com a musculatura das pernas estava doloridas pedi para a Isabela fazer uma massagem que ajudou bastante. Vi com o organizador como estava as posições dos corredores, o mesmo me informou que o Uruguaio Aníbal tinha conseguido ultrapassar o Oraldo e ganho a prova e que no percurso estavam o Felipe e o Ariovaldo e que eu era o 5 colocado geral, fiquei feliz da vida e partir no percurso para completar os 43 Km restantes finais. Já nesse percurso estava bom de correr, porque o vento estava a favor e ajudou bastante, quando cheguei próximo ao navio encalhado Altair passou por mim um jipe do Exército e me foi falado que só faltava 23 Km para terminar a prova, passei em frente ao navio Altair registrei umas fotos e prossegui forte e olhando para trás para ver se vinha algum corredor e não vinha ninguém, foi quando veio em minha direção um carro com os amigos Márcio, Guto, Batista, Júlio e a Gabriela dentro do carro vindo me parabenizar porque eu era o 5 colocado geral na prova, aí estranhei e perguntei? Ué vocês desistiram da prova? Eles me disseram que durante a passagem do ciclone o caminhão do Exército foi e recolheram todos no percurso e a organização da prova tinha dito para eles que a prova tinha cancelada...Cancelada??? Como assim? Não estou sabendo de nada??? Só fiquei sabendo disso através dos amigos acima, mas eles me falaram que quem estava na frente deles a prova não tinha cancelada...Como a bateria do meu celular tinha acabado, pedi para eles irem para a chegada e me filmar, mal eu sabia que estava preste a ser assaltado, se soubesse que a parte final da prova era um lugar perigoso tinha pedido para eles não irem para a chegada para ir me acompanhando, ou seja corri forte e faltando entre 8 a 10 Km para terminar a prova, na cidade de Rio Grande, vejo dois homens quase se aproximando, corri forte mais do que eles e eles vieram atrás de mim, apagaram a luzes de suas lanternas, gritei novamente, vocês são corredores? Não responderam nada? De repente vi eles com armas nas mãos, e eles me falando para eu parar, pensei comigo rápido, essa merda é assalto, continuei correndo, não sei da onde tirei forças para correr rápido foi Deus mesmo, fui jogando fora alguns itens da mochila ter menos peso, saí do percurso e adentrei dentro de um quintal de um morador gritando, me identifiquei pedindo ajuda até que o morador dessa casa disse cuidado que você pode ser atacado pelos cachorros ou levar um tiro, ai tornei a repetir sou militar e estou participando de uma corrida aqui na Praia de Cassino, se for possível acione a polícia que estão querendo me assaltar, ele prendeu os cachorros, deixou eu entrar no quintal dele e resolveu me ajudar como ele não sabia o percurso direito, liguei para o amigo Márcio que é morador de lá e ele disse para o Amauri aonde era a chegada e assim me levou até a chegada (obrigado), expliquei tudo a organização da prova o que tinha ocorrido e eles me informaram que eu seria então o 5º colocado geral até porque os corredores que vinham atrás não tinham como me alcançar e estavam muito longe. Me deram a Medalha de Finisher e a Isabel enfermeira ligou para Polícia a qual deu uma passada na chegada e foi embora. O amigo que me salvou Amauri me ofereceu uma carona até o hotel Cassino, não deu para correr os 10 Kms finais mas registrei os 220 Km em 39 horas.
Saindo do 2 posto de apoio - Farol Albardão
Correndo na noite com muita chuva e raios 
Já no dia 15 novembro 2015 (Domingo), na premiação fui pego de surpresa, o Paulo um dos organizadores da prova me informou que por ter chegado de carro, estava sendo desclassificado, questionei o Paulo falando que quando tinha chegado na parte final da prova tinha comentado a falta de segurança na prova e que tinha saído da prova e mesmo assim eles insistiram dizendo que eu era o 5º colocado geral da prova, disse mais que em uma prova eu jamais faria isso, mas como ocorreu falta de segurança não teve outra opção, o percurso final estava sem segurança e queriam me assaltar, falei com ele você acha que eu iria arriscar a minha vida por bobagens. Ainda falei com ele você é o organizador se você tá decidindo isso é com você. Fiquei muito triste e pensando em retornar para o hotel, foi quando o amigo Ronaldo Marletta me falou Jorge sei o quão é difícil para você, mas você tem um nome a zelar, todos sabem que você é do bem, então na primeira oportunidade peça a palavra no microfone e fale a todos, esperei a apresentação de todas as autoridades que estavam presentes no local e quando iriam dar início a premiação pedi a palavra todos olharam para mim com espanto. Expliquei para todos o que estavam acontecendo (atletas, as autoridades locais: prefeito, coronéis e policiais que estavam presente e  que estava muito triste porque na prova não teve segurança, falei ainda mais imaginem se eu levasse um tiro como ficaria a minha família no Rio de Janeiro. Ainda disse para o organizador Paulo se você está me desclassificando, em respeito a todos atletas que vocês retiraram da prova e não receberam a medalha de finisher, também estou devolvendo a medalha de finisher que recebi na chegada. Após isso os amigos atletas se levantaram e bateram palmas para mim e muitos vieram me abraçar e me parabenizar pela minha atitude. O secretário de turismo da cidade Peter veio até a mim pedindo desculpas pela falta de segurança na cidade.
Avaliação da Prova:
Inscrição: De R$ 850,00 a 1.000 reais (a minha foi gratuita)...Ponto positivo;
Kit: 01 sacola de pano, 01 camisa, 01 número, 02 alfinetes, 01 copo dobrável, 01 bandana, 01 saco químico para coco, 03 sacos de lixo para guardar nossos pertences nos pontos de apoio, 03 lacres, 01 panfleto e 01 porta número...Ponto positivo;
Guarda  volumes: Foram utilizados 03 postos bases de apoio eu não tive problemas com o meus 3 sacos que deixei nos 3 postos, mas teve alguns que tiveram...Item que precisa ser melhorado...Estou falando por mim...Ponto positivo;
Altimetria da prova: Fácil...Ponto positivo;
Percurso: Plano porém dificílimo, largamos no Moles do Chuí e corremos todos na areia da praia até chegar a Praia de Cassino no Rio Grande, durante o dia a ambulância e os jipes do Exército iam e voltavam e perguntavam se estava tudo bem, mas a parte final do percurso onde ouve uma tentativa de assalto a mão armada que era para ter segurança no percurso não teve...Ponto negativo;
Posto de Hidratação: Todos nós inscritos fomos obrigado a correr com mochila de no mínimo 2 litros dágua, observei que alguns correram com mochila com água de 1,5 litros dágua e alguns se deram mal no percurso, os postos de apoio com água foram no Km 54, 87, 122, 177 e na chegada, achei que esses postos estavam longe demais, até chegar nos 3 postos de apoio a minha água da mochila tinha acabado e a solução foi beber água dos arroios (rios). A minha recomendação que falei para os organizadores é que poderiam ser de 40 em 40 Km aí não teria problemas...Ponto negativo;
Posto Médico: Durante a prova foi colocada 3 ambulâncias indo e vindo, eu utilizei a ambulância, mas sem tomar nada injetável para não ser retirado da prova, como estava com fratura por stress na perna esquerda e depois de um certo tempo no percurso a perna começou a doer a Maria e o Marcos que estavam na ambulância me deitaram colocaram gelo e esparadrapo no local da dor que ajudou bastante...Ponto positivo;
Banheiros: Na largada foi utilizado os banheiros do Clube Beira Mar e em frente ao Clube tinha mais um banheiro químico. A organização da prova distribuiu no kit da prova saco químico em que se o atleta precisasse fazer coco o mesmo fizesse no saco de lixo e depois jogava o pó químico dentro do saco amarrava e o atleta tinha que carregar o saco até o posto de apoio para receber outro...Ponto positivo;
Alimentação da prova: Nos 04 postos de apoio foi servida alimentação e frutas e na chegada também...Ponto positivo;
Premiação da prova: O organizador premiou os 05 primeiros corredores da geral masculino/feminino com lindos troféu, dinheiro e inscrição para a Ultra PT281 em Portugal somente para o primeiro colocado no masculino e feminino...Ponto positivo;
Premiação faixas etárias: A organização premiou os 03 primeiros corredores masculino/feminino nas faixas de 10 em 10 anos...Ponto positivo;
Medalha de Participação: Somente os atletas que concluíram a prova receberam medalhas de finisher, medalhão lindo de metal com o desenho e nomes das praias de Cassino e com uma bela fita personalizada....Ponto positivo;
Resultado da  Prova: Ponto que precisa ser melhorado a organização não divulgou em seu site...Ponto negativo; e
Prova: Como dito lá em cima sofri uma tentativa de assalto e por falta de segurança da prova um morador me levou de carro na parte final da prova faltando entre 10 Km, a organização me informou que mesmo assim era o 5 colocado geral e os que vinham mais atrás não teria como me ultrapassar porque estava bem longe, depois fui pego de surpresa me informaram da minha desclassificaçãoAchei um absurdo porque era para os corredores terem segurança e não tivemos na parte final, imagina se algo grave acontecesse, graças à Deus fiquei livre desse mal. E nem era para ter falado que eu era o 5 colocado geral. A organização não deixou recorrer dessa decisão me punindo e inclusive os atletas que estavam mais lentos tirando-os da prova. Fiquei muito chateado com toda essa situação porque sou uma pessoa íntegra e não vai ser esse problema da desclassificação que vai me abalar, jamais iria por a minha vida em risco porque a minha vida é preciosa para mim e meus familiares, corrida teremos de montão por aí mas a vida é somente uma, sei do meu potencial e os amigos que me conhecem sabem do que estou falando. Foi notado por mim que um dos organizadores falou uma coisa e o outro dizia outra, não se entendiam os amigos que correram a Cassino Ultra Race que foram retirados da prova durante o ciclone de madrugada me reportaram que um dos organizadores informaram para eles, que eles iriam receber a inscrição para 2016 gratuitamente e depois disseram que não. A organização nos falou no Congresso Técnico que iria ter uma rígida fiscalização dos itens de segurança obrigatórios nos postos de apoio durante o percurso e que os atletas deveriam carregar e se o atleta não levasse algum item seria desclassificado e não houve essa fiscalização. A organização premiou nas faixas etárias alguns atletas que desistiram da prova, atletas que nem completaram o percurso todo e inclusive atletas que receberam soro e medicação dentro da ambulância, mas só resolveu me punir outros não. Bom como foi a primeira edição espero que a organização reflitam em tudo que aconteceu e corrijam os erros, fiquei muito decepcionado com toda essa situação, não tive como recorrer a qual fui punido, só usaram o regulamento para me punir mas outros não foram punidos.

A experiência de ter corrido a Cassino Ultra Race foi um grande aprendizado, só quem esteve lá correndo, passou a madrugada toda enfrentando tempestade, vento contra a 100 por hora e muito frio vai entender o que estou falando. 
Nos vemos na próxima linha de largada.
🏃🏾‍♂️💨🇧🇷

Um comentário:

  1. Nossa realmente é muito chato o que aconteceu com você mas não baixe a cabeça, siga em frente, se não deu certo dessa vez, na outra com certeza dará.

    Parabéns!!!

    Carlos Motta

    ResponderExcluir

Sejam bem vindo(a)s ao meu Blog de Corridas. Participe seus comentários serão muito importantes para mim e para outros participantes interessados no mesmo tema.

Todos os comentários serão bem vindos, mas, reservo-me no direito de excluir eventuais mensagens com linguagens inadequadas ou ofensivas.

PS: Caso queira entrar em contato, me mande um e-mail para jmaratona@jmaratona.com

Obrigado,

Jorge Cerqueira
Ultramaratonista