segunda-feira, 26 de maio de 2014

Jogos Regionais dos Idosos 2014

O relato abaixo me foi enviado pelo amigo Ismael Moya Zunega que participou dos Jogos JORI (Jogos Regionais dos Idosos) em 24 Maio 2014 em Osasco - SP.
Meus amigos, chegamos a mais uma final dos Jogos Regionais dos Idosos , parabéns aos atletas que conquistaram índice para disputar a final em Presidente Prudente, mais para alguns atletas da terceira idade do ATLETISMO a qual, me incluo, Osasco vai ficar na lembrança pelo péssimo atendimento a qual fomos expostos.

Logo no primeiro dia teve escassez de alimentos, no café da manhã somente café preto sem leite em quantidade reduzida somente 50 ml, aquilo não era desejum para idosos sem fruta alguma, local de alimentação bem afastado, foi concentrado tudo num lugar só teve equipe que tinha que ir de ônibus 4 Km de distância e ainda enfrentar o  trânsito, na área do ATLETISMO esteve pior , onde seria realizada as provas local inadequado ou seja na rua com asfalto todo irregular e com aclive o que colocaria em risco de acidente algum atleta, pois tinha muitos atletas com mais de 70 anos e sem sinalização e mais faltava lugar para os atletas se trocarem que ao meu ver foi humilhante, devido a reclamação geral foi mudado o local para competição, feito mais uma improvisação dentro da área do SESI em virtude da pista esta interditada, pista de bloquetes irregular mais foi menos mal, a secretaria da promoção social deveria fazer uma enquete sobre esses acontecimentos e tomar alguma providencia em relação aos JORI , que ao meu ver também estão profissionalizando o atletismo e com isso ele vai perdendo a excencia pela qual foi instituído falo do atletismo mais não sei das outra modalidades, esse foi meu desabafo.

O relato abaixo é do Roberto Monteiro que também participou dos Jogos JORI (Jogos Regionais dos Idosos) em 24 Maio 2014 em Osasco - SP.
Findo o último JORI do ano, os classificados se preparam para o JAI.
Em 2014, vez mais, se repetiu um situação rotineira, a desorganização e o descaso para com os atletas.

Quando o governo entender que o idoso treina o ano todo, coloca toda a sua disposição e vence as limitações para participar de um evento de tamanha magnitude e que tal dedicação exige que os JORIs sejam preparados por uma equipe que tenha vínculos com o esporte para o idoso, que conheça as características e a dimensão social da atividade, teremos um evento que realmente atenda ao seu objetivo primeiro, o da socialização e o de servir como ferramenta para a melhoria da qualidade de vida.

Quando os organizadores de cada uma e de todas as etapas dos jogos tiverem conhecimento dos objetivos maiores da competição, talvez, as adaptações, "jeitinhos" e a desorganização deem lugar ao respeito humano.

A cada etapa, são sempre 1500 a 2000 senhores e senhoras, os mais novos com 60 anos, pessoas que já deram enorme contribuição a sociedade, são pais, avós e bisavós que merecem, ao menos respeito proporcional à vivência e à contribuição social já realizada.
Acompanhei de perto as competições de voleibol e de natação, na natação a organização parecia coisa surreal, coisa de louco.

Todavia, é certo e sabido, enquanto os municípios permanecerem silentes, sem valorizar os idosos, nada mudará na organização.
Saudações

Nenhum comentário: