sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Competição nº 322 - BR 217 Ultramarathon 2014

Distância:  217 Km;
Tempo:  22 horas e 53 minutos;
Local: São João da Boa Vista (SP) à Paraisópolis (MG);
Colocação Geral:  3° por Equipe Trio;e
Total de Corredores:  + de 200 entre Solo e Revezamento.
Foi realizada neste último final de semana Sexta e Sábado dias 17 e 18 Jan 2014, à X edição da BR 135 e BR 217 Ultramarathon, são duas provas com a mesma distância 217 Km porém com nomes diferentes: BR 135 para quem faz Solo e BR 217 para quem faz em Revezamento (Duplas, Trios e Quartetos), também desta vez teve a categoria SURVIVOR (Categoria em que o corredor corre sozinho sem nenhum apoio). A largada é dada na cidade São João da Boa Vista - SP chegando na cidade de Paraisópolis - MG (Corremos por 13 cidades é chão demais...rsss). Estreei este ano na categoria Trio com os amigos: Carlos Zuma e Henrique Ferreira representando o Estado do Rio de Janeiro. Pois esta Ultramaratona é considerada a mais difícil no Brasil e a mesma é realizada pelo Mário Lacerda.

Para esta Ultramaratona tem que se fazer um bom planejamento para dar tudo certo, graças a Deus planejamos e deu tudo certo. O percurso é difícil demais, mas valeu a pena ter corrido cada Km dos 217 Km.
Altimetria da Prova
Inicialmente a Equipe Trio era composta por eu, Ivan Gonçalves de MG e Nilton Amaral do Rio, sendo que por problemas de saúde, nenhum dos dois puderam participar e tivemos que arrumar dois atletas. O Carlos Zuma entrou no lugar do Ivan e o Henrique Ferreira entrou no lugar do Nilton Amaral. Não deu para a Equipe treinar juntos todos os finais de semana, mas não deixamos de treinarmos, treinamos em vários percursos do Rio, na realidade só deu para fazermos um treino longo juntos e nos reunimos por duas vezes para planejarmos como faríamos a prova. O amigo Arjonas agregou a equipe nos ajudando dirigindo a sua pick up nos apoiando durante todo o percurso e graças à Deus deu tudo certo no final.
Foto do treino
Então chegou o grande dia de partir para São João da Boa Vista, saímos do Rio no dia 15 Jan 2014 às 23 horas da noite, durante a estrada quando chegamos a Aparecida do Norte deparamos com um carro tombado no meio da rua, mas não tinha ninguém dentro, acredito que já tinha tirado os ocupantes do carro, paramos por duas vezes para o Arjonas descansar por 30 minutos, já que ele era o motorista e não poderíamos dar mole, por volta das 07 horas da manhã, fizemos uma parada na cidade de Jaguariúna - Sp para tomarmos um café da manhã e logo em seguida caímos na estrada, falar em estrada eita que Dutra para ter mais de mil pedágios...arggg...

Por volta das 08 horas da manhã chegamos em São João da Boa Vista, fomos procurar a Associação dos Amigos do Caminho da Fé (Pois no regulamento da prova informa que cada atleta deve doar 03 kilos de alimentos não perecíveis a esta Associação), entregamos, pegamos o recibo e fomos buscar o kit da prova.
Entrega de alimentos
Chegamos em um Clube que agora não lembro o nome para pegar o kit, participar do almoço e do Congresso Técnico, onde já encontravam-se vários atletas. Na entrada do clube os staffs olhava procurava o nosso nomes na lista e nos davam um papel para conferência dos itens cobrados no regulamento, entregamos todos os documentos necessários e o 05 reais para doação a Associação do Caminho da Fé, pegamos o nosso kit e entramos numa sala para uma entrevista, cada um falava o nome, cidade e porque estava ali para correr esta prova, após isso fomos para outra área do clube onde tínhamos que pegar o chip, registrar fotos e ficamos esperando dar a hora do almoço e o Congresso Técnico.
Na entrega do Kit
Kit da prova
Por volta das 13 horas da tarde saiu o almoço e por volta das 14 horas o Congresso começou já estávamos bem cansados, doidos querendo ir para o hotel descansar, mas o organizador disse que era necessário ficarmos para mais informações sobre a prova, mas na realidade depois que acabou o congresso vimos que não precisávamos ficar no congresso, pois só foram feitas algumas apresentações no palco do clube, registramos a foto oficial e fomos descansar.
Meu prato, tava uma delícia
Congresso Técnico
Equipe Rio com o organizador Mario Lacerda
Equipe Rio 
Conferindo a lista
Fizemos o check-in no hotel Manelzinho, descansamos e a noite fomos comer pizza em um restaurante chamado Castelo, retornamos para o hotel fizemos uma breve reunião do para acertar detalhes finais para a prova e depois retornei para o quarto dei uma arrumada no material que iria usar e fui descansar. Por volta das 06 horas da manhã acordei me aprontei e desci com minha bolsa para ser guardada no carro, tomamos café da manhã e partimos para a praça central de São João da Boa Vista para à largada, já no local todos estavam aguardando à largada, como seria o 2° a largar aproveitei para falar com os amigos, registrar fotos e filmagens. E acabei conhecendo uns dos meus patrocinadores e sua família o Roberto Filho com sua esposa Ana Paula e sua filha Giovana (pena que a foto não ficou legal).
Equipe Rio, preparando para ir para à largada
Na largada
Antes da largada, Eu, Zuma, Henrique e Arjonas nos reunimos e fizemos uma oração para que Deus nos guardássemos durante o percurso.  O tempo estava nublado, temperatura ideal para correr, mas depois de algumas horas o sol veio que veio com força total. Às 08 horas da manhã foi dada à largada, o 1° da Equipe Rio a largar foi o amigo Zuma, fizemos a seguinte estratégia que cada corredor do TRIO corresse  cada um alternando 10 Km, mas tarde mudamos essa estratégia.
Momento de fé, pedindo proteção à Deus
Zuma no 1° trecho da prova
Como iria correr o 2° trecho e o Henrique iria em seguida começar o 3° trecho, entramos na Pick-Up do Arjonas e fomos seguindo os outros carros para não nos perdermos, fomos atrás do carro do apoio do Márcio Villar, depois de alguns minutos a Cris Fernandes saiu do carro e nos informou que deveríamos seguir as setas pintadas em amarelo no postes e assim fomos seguindo, durante o trajeto passamos por vários corredores e o amigo Arjonas nosso piloto, colocou a música do filme Rock Balboa - Eye Of The Tiger, e todos que passamos adoravam, inclusive os estrangeiros.
Estrangeiros da Malásia
Não sei precisar a hora, o carro de apoio alcançou o Zuma e fui filmando, após chegarmos numa parte de terra batida, onde encontravam-se alguns carros o Arjonas teve que parar porque em diante os carros não passavam porque dava em uma fazenda e tínhamos que correr em trilhas, então antes que o Zuma completasse 10 Km, faltando poucos metros, rendi ele e meti bronca nas trilhas, passando por ruas, trilhas, pastos de gado e inclusive passando por debaixo de cercas, a trilha já começou pesada, muito ingrime, escorregadia quando cheguei no topo a trilha, verifiquei o GPS marcando uns 06 Km em 27 minutos, pena que nesta parte do percurso foi uma pena a equipe não ter podido indo me acompanhando para registrando fotos, tão logo veio a descida mandei ver na velocidade, mas correndo com cuidado porque a trilha abaixo estava cheia de cascalho com pedras, encontrei com alguns ultras que estavam descendo com cuidado também, cumprimentei e disse que estava no trio fui seguindo até uma cidade que não lembro o nome, foi quando o Henrique me rendeu, correndo alguns metros no plano e já subindo o início da estrada que da o Pico do Gavião.
Indo de carro para ir correr o 2° trecho
Henrique na estrada de acesso ao Pico do Gavião
E assim fomos correndo: Zuma abriu a prova, rendi ele no 2° trecho e o Henrique me rendeu no 3° da prova e assim fomos correndo um revezando com o outro, quando estávamos no carro, um ia descansando atrás e o outro ia filmando, tirando fotos e cuidando do outro atleta que estava correndo, não sei precisar a hora, mas no Pico do Gavião o Zuma sentiu um pouco de cansaço lá pelos 04 Km de subida, rendi ele e corri morro acima alcançando o Pico do Gavião correndo uns 04 Km de morro acima, desci mas uns 2 Km e o Henrique me rendeu...Depois que descemos o Pico do Gavião pela nossa contagem, estávamos em 3° colocado, daí a Equipe de Paraisópolis encostou na gente querendo o 3° lugar, foi então que mudamos a estratégia em vez de cada corredor correr 10 Km, mudamos a tática para cada corredor correr 05 Km e assim íamos correndo na terra batida, planos, subidas e descidas.
Zuma na 1° parte do Pico do Gavião
Eu já na 2° parte do Pico do Gavião
Durante o percurso passávamos por alguns Peregrinos fazendo o Caminho da Fé, numa das paradas entrevistei mãe e filha D. Luiza e Mariana da cidade de Brasília que estavam fazendo o caminho da fé, conversamos por alguns minutos, e a D. Luiza me informou que  não iria fazer todo o percurso por causa que não iria dar tempo, pois tinha que retornar a Brasília por causa dos estudos da filha que iria começar no dia 27 Jan 2014, desejei boa sorte e nos despedimos (duas mulheres guerreiras, no meio do nada sozinhas fazendo o Caminho da Fé).
Quando chegamos na cidade de Andradas passamos pelo 1° posto de controle em que uma Staff anotava o número dos corredores para controle, nesse posto havia somente água, maçãs e bananas para os corredores, como estávamos abastecidos, só peguei duas garrafas dágua e partimos...Depois desta cidade veio uma enorme subida que o Henrique correu ela e chegamos numa fonte dágua, pegamos algumas garrafas vazias que estava na pick-up enchemos foi quando passamos pelo 2° colocado solo da BR 135 (Eduardo Calixto) que estava caminhando.
Observando a cidade de Andradas do alto da montanha
E vamos continuar correndo
Por volta das 17:00 horas da tarde, o amigo Arjonas parou num posto de gasolina para abastecer o tanque de combustível e como o Zuma vinha logo atrás ele foi até o outro lado da rua numa lanchonete para comprar lanches e como o Zuma veio logo em seguida, preferi render o Zuma e não comer o lanche, para não dar mole para a equipe que vinha atrás de nós, só que quando larguei não observei a seta pegando o caminho errado, foi quando os amigos me gritaram informando que estava indo em direção errada, imediatamente voltei pegando o caminho certo e mandei ver. Lembro que ainda estava muito calor, mas como a minha camiseta estava toda suja devido quando os carros passavam na terra batida levantando a maior poeirada danada, a camiseta branca ficou toda amarelada, botei outra blusa, mas logo, logo retirei porque estava me sufocando de tanto calor.
Por volta das 19 horas, já estávamos bem distante da Equipe de Paraisópolis que estava querendo nos ultrapassar, foi quando numa rua de barro, não sei informar qual era a cidade, mas caiu uma baita chuva por uns 30 minutos quando o Zuma estava correndo, a noite chegou era a hora de prestar muita atenção nas setas, pois em um determinado lance que era para atravessar uma rua a seta estava indicando uma direção, sendo que do outro lado da rua não tinha seta, foi quando o Henrique me disse vamos nessa direção, comecei a mandar ver foi quando percebi que não havia mais setas, estranhei e falei com o Arjonas a minha desconfiança falando que talvez estávamos errados e que era na outra direção, ele retornou com a pick-up na direção que tinha falado e constatou que estava errado, daí ele voltou e mandou retornar, pelo GPS corremos uns 500 metros, o Arjonas disse para entrar na pick-up que iria me deixar no local certo, disse que não precisava que era somente 500 metros e assim eu fiz, foi quando cheguei numa determinada praça descendo uma ladeira, um motorista estava vindo na direção dele e eu do outro lado da rua, foi quando estava aproximando ele fez um zig zag e quase me atropelou, graças à Deus não houve nada comigo...Ufaaa, passado o susto o Henrique me rendeu, chegamos em outra cidade em que havia o 2° posto de controle, paramos rapidamente a Staff anotou o nosso número para controle e perguntamos se estávamos em 3° mesmo, foi confirmado, peguei uma garrafa dágua, bananas e maçãs e partimos para o objetivo.
Na night correndo
Chegamos na penúltima cidade no posto de controle já de madrugada os staffs muito atenciosos anotaram o nosso número para controle e nos perguntaram se estávamos bem e se gostaríamos de tomar uma canja, a madrugada estava fria, respondemos que estávamos todos bem e aceitamos a canja que estava uma delícia, como o Zuma estava vindo logo atrás correndo e já que iria render o Zuma e para não deixar o estômago pesado para correr, comi somente a metade copo da canja, foi quando apareceu um cachorro e resolvi dar a outra metade da canja o cachorro que estava na praça.

Já nas montanhas de Consolação, subindo e descendo o carro de apoio da Equipe de Paraisópolis nos alcançaram, como faltava mais ou menos uns 20 Km para terminarmos a prova, o sinal vermelho acendeu e disse para a Equipe Rio olha se o carro deles nos alcançaram então eles já devem estar por perto, não vamos deixar o 3° lugar escapulir de nós e como o Zuma estava sentindo um pouco de dor no joelho, resolvemos mudar de novo a estratégia em vez de correr 5 Km revezando, passamos a correr 3 Km revezando e assim fizemos, nas montanhas em alguns lugares a lua nos ajudava iluminando o percurso e então não ligava a lanterna para a equipe que vinha atrás não saber da  nossa posição, teve um instante que avistamos ao longe a Equipe que estava em 2° lugar e disse para a Equipe vamos tentar ultrapassar eles, já na última montanha quando subi olhava para trás para ver se alguém da Equipe de Paraisópolis vinha atrás, mas não aparecia ninguém e muito menos o carro de apoio deles, nessa última montanha o Henrique me rendeu, entrei no carro e o Arjonas pegou uma descida em que avistamos corredor da Equipe de São João da Boa Vista que estava em 2° lugar, mas como o Henrique estava um pouco longe não deu para alcançar e ultrapassá-lo, amanheceu e por volta das 06 horas e 51 minutos alcançamos a cidade de Paraisópolis, esperamos o Henrique chegar e quando ele chegou, nós 03 cruzamos a linha de chegada juntos em 3° lugar por equipe fechando os 217 Km da BR Ultramarathon em 22 horas e 53 minutos feliz da vida e comemorando muito. Após o término da prova, fomos para a balança ser pesados, comecei a prova com 74,50 Kilos e terminei a prova com 71 Kilos perdendo nesta prova 03,50 Kilos, também tivemos que fazer o antidoping e logo em seguida fomos para o pódio receber então a linda medalha e 02 camisetas de Finisher.
Placa de boas vindas em Paraisópolis - MG
Chegando em Paraisópolis para concluir a prova
Obrigado meu Deus por mais esta oportunidade de completar a BR 217!!! Valeu Equipe Rio...Showww 
Ivan Gonçalves muito obrigado por tornar este sonho realidade camarada, estou na torcida para que você melhore o mais rápido possível e que em 2015 você corra esta prova, estou na torcida.
Arjonas você disponibilizou tempo, seu carro e apoio para nos ajudar sem cobrar um centavo, valeu mesmo muito obrigado, o seu apoio foi fundamental.
Também agradeço aos patrocinadores que nos ajudaram a ir para essa prova: Sandra Regina da Cingan Tour, Roberto Filho da Sprint Tênis, Marcelo Mathiely da Dvitaminas, Antônio do Supermercado Valqueire e Bryn Publi da Gráfica, muito obrigado por acreditar na Equipe Rio
Obs: Desta vez não terá a Seção Amigos Virtuais que viraram Reais, porque foram muitas e muitas fotos então ficaria muito grande este post, mas todas as fotos do eventos estão no meu Facebook basta clicar aqui.

Parabéns a todos os atletas que participaram da BR 125/217 seja na categoria solo ou revezamento todos estão de parabéns.


Avaliação da Prova:
=>Inscrição: R$ 500 reais para cada um do Trio, mas quem fez Solo a inscrição custou R$ 1.000,00 reais;
=>Kit: 01 sacola, 01 camiseta da prova, 01 chip, 03 revistas, 01 DVD da prova do ano anterior, 01 estaca de madeira, 04 números de peito, alguns alfinetes, 01 manta térmica e 01 livro do Márcio Villar
=>Guarda volumes: Não teve, usamos do carro de apoio, mas para quem fez a categoria SURVIVOR, na entrega do kit entregaram para a organização o que iriam usar nos pontos de controle;
=>Altimetria da prova:  Dificílima;
=>Percurso:  Foi  de 1% de asfalto, 99% terra batida, subidas e descidas  íngremes;
=>Posto de hidratação:  A organização colocou 03 pontos de controles e nesses só havia água, poderia ter uns isotônicos;
=>Posto Médico: Vi uma ambulância na largada, mas para se correr esta prova o atleta tem que estar bastante preparado, porque se houver um acidente no percurso da prova bau bau;
=>Banheiros: Não foi preciso na largada já que havia muito mato durante o percurso por volta das 5 horas da manhã usei o mato mesmo para fazer o número 2...rsss;
=>Premiação: Nesta prova não tem premiação em dinheiro ou troféus, somente a medalha, pois a mesma tem que ser conquistada dentro do objetivo, na modalidade Trio o tempo limite é de 48 horas, mas na Solo é de 60 horas, todos que completaram receberam uma linda medalha de metal com o desenho do Mapa do Brasil ao Centro e por fora veio escrito os 10 anos referente o anúncio, após concluirmos a prova além da medalha cada um recebeu duas camisetas de FINISHER referente a prova. Ahhh também o apoio recebe uma medalha, mas acho que o Organizador deveria mudar este tipo de medalha pois é uma pequena medalha deveria ser maior.
=>Prova:  A BR 217 Ultramarathon é a rainha das Ultramaratonas é uma prova difícil de se correr, mas fantástica de se correr, valeu a pena correr cada Km dos 217 Km. Foram 217 km nas montanhas do caminho da fé, trecho de São João da Boa Vista - SP  à Paraisópolis - MG. A prova foi disputada Km a Km pelos 2°, 3° e 4° lugares do revezamento trio. Fizemos o  dever de casa e fora de casa. Dando pódio. Equipe Rio conquistando o 3° lugar. Agora é lutar para se programar e correr ano que vem na modalidade Solo...Para quem ainda não correu esta prova, recomendo que comece pelo modalidade revezamento e depois corra a Solo.

Nos vemos na próxima linha de largada!!!

Nenhum comentário: