segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Lito Cordeiro na Subida do Cristo 2011

Há muito tempo que eu escutava falar da corrida “Subida ao Cristo do Cel. Rabello”, mas nunca conseguia participar, por razões diversas. O engraçado é que eu tinha planejado uma subida com os amigos da equipe Raiz da Glória para o início de dezembro, mas acabei me lesionando e o pessoal desistiu de subir. Quando soube que as inscrições estavam abertas, corri para fazer. Liguei para a Dona Graça, mandei o e-mail com as informações, era só esperar. A corrida é de confraternização, vale dizer, não há marcação de tempo e nem premiação, apenas medalhas para os concluintes. A inscrição custou 1 kg de alimento não perecível.
Chegou o grande dia, último dia do ano. A concentração e largada estava marcada no Batalhão de Choque da Salvador de Sá, ao lado do Sambódromo. Cheguei cedo por via das dúvidas, pois tinha combinado com duas amigas do trabalho que fariam a prova também. Porém, ao chegar percebi que havia esquecido o alimento não perecível! Liguei para as meninas, que trouxeram para mim.
Entramos no batalhão para pegar o nosso número, já estava cheio de corredores. Olha, não faço idéia do número, mas bem uns 500 deveriam ter. Pegamos o número, tiramos fotos, guardamos nossos pertences no guarda volume e nos preparamos para a largada. Esta se deu sob um tiro de canhão, dentro do quartel mesmo, foi show!
Saímos em disparada pelo portão principal do quartel, puxados pelos batedores do BChoque em motocicletas, muito legal. Aliás, vários integrantes do Bchoque correram também, além de garantir toda a assistência e segurança durante toda a prova.

Ao sairmos do batalhão atravessamos a Salvador de Sá e corremos pela rua lateral paralela ao Sambódromo (Rua do Paraíso), para logo a seguir enfrentarmos a primeira pedreira: a subida da Rua Paula Matos. Muito íngreme, foi só um cartão de visitas do que nos esperava. Saindo da Paula Matos, entramos na Rua Pintora DJanira, para acessar o Largo das Neves.

Saindo do Largo o trecho ficou mais plano, assim completamos o primeiro quilômetro na Rua Progresso. Porém, logo entramos na Rua Oriente e a pedreira voltou, subidinha braba! Dali pegamos a Rua Aarão Reis, outra ladeira íngreme, completamos o quilômetro 2 e finalmente ingressamos na Rua Almirante Alexandrino, uma das principais do bairro de Santa Teresa e que cruza praticamente toda a sua extensão.

Para mim foi o trecho menos difícil, pois o aclive apesar de constante é leve, permitindo que fluísse o ritmo. Quilômetro 3 no Largo do França, Quilômetro 4 logo depois da Rua Julio Otoni (descida para Laranjeiras pela Rua Alice), enfim seguimos pela Almirante Alexandrino até o quilômetro 6,5, início da Estrada das Paineiras. Ali o bicho pegou, muita gente caminhando, eu mesmo revezava entre caminhar acelerado nas subidas mais íngremes e correr nas mais suaves. Seguimos pela Estrada das Paineiras até o KM10, início da Estrada do Corcovado e suas ladeiras mais íngremes ainda. Como era um sábado, o Corcovado estava lotado, e as vans da empresa Bel Tour que fazem o transporte dos turistas passavam a toda, realmente um perigo para os corredores.

Enfim chegamos, meu marcador de GPS apontou 12,80km, fechei a prova em 1:40;21, pace de 7:51, melhor do que eu imaginava. Ao chegar recebemos a nossa suada medalha e tínhamos uma banca de frutas além de água. Quero ressaltar que tivemos 1 posto de água no km4 e depois passaram policiais do Bchoque distribuindo água pelo km8, não sei se foi suficiente para todos.

Mas o melhor estava por vir. Todos os corredores tiveram acesso gratuito a estátua do Cristo Redentor, bastando para isso mostrar o número de peito ou a medalha. Liderados pelo Cel Rabello e pelos batedores do BChoque, fizemos o abraço simbólico na estátua, abrimos champagne e brindamos o Ano Novo que viria dali a algumas horas. Foi a hora de tirar a máquina do bolso e fazer muitas fotos!

Por fim, retornamos caminhando (alguns fizeram correndo, eu fui um deles) até o Mirante Dona Marta, onde estavam estacionados os ônibus que levariam os corredores de volta ao BChoque. Entramos nos ônibus e fomos escoltados pelos batedores até o quartel, onde pegamos nossos pertences no guarda volumes e terminou a nossa saga. Foi uma experiência fantástica que não perco novamente de jeito nenhum.

Queria agradecer ao Cel Rabello e a Dona Graça, pela boa vontade e organização e a todos os policiais do BChoque que participaram do evento. Fomos muito bem recebidos no batalhão, durante a prova eles deram toda a assistência aos corredores, cumpriram muito bem a missão, com determinação e bom humor. Foi show. Ano que vem tem mais.

Parabéns Lito!!!

Correu também me envie o seu relato e fotos email: jmaratona@jmaratona.com

6 comentários:

BAHIENSE disse...

Pô, nem fiquei sabendo dessa prova, estava no Rio de bobeira, se solbesse talvez teria corrido!

Lito Cordeiro disse...

Valeu mesmo pela publicação Jorge, muito grato. Melhoras ae na sua lesão, pois a lesão é o pesadelo de todo corredor. Abração e até a próxima, no meu caso é a São Sebastião, dia 20/01, feriado!

Joka disse...

Muito bom Ultra Parabéns !!!! Feliz 2012

Tatiana disse...

Show Lito!
Quando eu acho que minha lista de coisas a fazer e conhecer no Rio está completa, lá vem o Lito mostrando mais um percurso ou um lugar que eu preciso conhecer,hehehe

Que sensação maravilhosa estar aos pés do Cristo ao final de mais um ano, melhor ainda, depois de uma corrida.

To seguindo o blog - devo passar outras vezes por aqui Jorge - e que as corridas sejam sempre + um bom motivo pra comemorar
beijo

Tatiana
Ctba-pr

Lito Cordeiro disse...

Vixi Tati, programe a sua próxima visita ao Rio para o reveillon e venha preparada para correr esta maravilha. Aliás, pode ser caminhada também, a partir de metade do percurso, é uma sensação maravilhosa!! Já está marcada a deste ano, será 29/12, último sábado do ano. E siga mesmo o blog do Jorge, ele é muito fera!

tutta disse...

Legal essa prova.
O Cristo é um lugar fantástico.
Um dia ainda corro aí, hehe

Abraço e bom ano de 2012 a você e a toda sua família Jorge.


tutta/BALEIAS/PR
www.correndocorridas.blogspot.com