quarta-feira, 24 de junho de 2009

POR QUE DEMOLIR ? - Protesto Parte 6

Com a aproximação da Copa do Mundo de 2014 no Brasil os Governos Estadual e Municipal do Rio de Janeiro vêm anunciando algumas obras a serem realizadas para adequar as instalações esportivas do Estado aos padrões da FIFA.

Dentre estas obras constam as reformas do Complexo do Maracanã cujo edital de licitação prevê a Demolição do Parque Aquático Júlio Delamara e do Estádio de Atletismo Célio de Barros.

Tendo em vista essas iminentes demolições parte da Sociedade Carioca vem se mobilizando para evitar que mais uma vez o dinheiro público seja desperdiçado e a Sociedade seja lesada.

Dados Gerais da Suderj sobre o Parque Aquático
Projetado pelos arquitetos Rubens Cozzo, Ricardo Labre e Cândido Lemos, o Parque Aquático Júlio Delamare foi inaugurado em setembro de 1978 no Complexo do Maracanã e, desde então, passou a ser palco de grandes eventos esportivos de natação, pólo aquático, nado sincronizado e saltos ornamentais. Ocupa uma área de 18.515m2, um dos maiores no gênero da América Latina.

Com a capacidade inicial de 5.712 lugares, o parque dispõe deuma piscina olímpica, de 25m x 50m, uma piscina coberta para aquecimento de 10m x 25m, e um tanque para saltos, de 25m x 25m com profundidade máxima de 5 metros.
Para abrigar as competições de pólo aquático dos Jogos Pan-americanos, realizados em julho de 2007 no Rio de Janeiro, o parque aquático foi reformado ao custo de R$ 10 milhões. Suas arquibancandas receberam assentos, o uqe diminuiu a capacidade para 5 mil pessoas, mas passou a proporcionar maior conforto e comodidade para os espectadores. Em 2 de maio de 2006, o Parque Aquático Júlio Delamare foi reinaugurado, e promoveu o Campeonato Mundial Júnior de Natação, de 23 a 27 de agosto do mesmo ano.

Grandes nomes da natação brasileira, como Fernando Scherer, o "Xuxa", e o Gustavo Borges, iniciaram suas carreiras no parque, que tem a aprovação da Fina - Federação Internacional de Natação - por apresentar todas as exigências necessárias para realização de grandes eventos. Está em estudo um projeto para transformar o espaço em Centro de Excelência.

No último evento o Parque Aquático mostrou do seu esplendor quando jovens de todo Brasil se reuniram para o XVII Campeonato Brasileiro Juvenil de Nataçaõ de Inverno - Troféu Dr. Arthur Sampaio Carepa - numa confraternização emocionante.

Atividades Atuais Exercidas nas Instalações Desportivas
Por estar localizado em um local estratético e bem servido de transporte urbanos: metrô, trem e ônibus que beneficiam desde o subúrbio mais distante até a zona sul, atualmente o Parque Aquático e as demais instalações adjacentes abrigam o Programa de Iniciação Esportiva (PID) do complexo do Maracanã que atende a aproximadamente 6.000 alunos que em sua maioria, são idosos, crianças e pessoas portadoras de necessidades especiais (300).

Este Programa que, reconhecidamente apresenta relevante importância na integração social da Cidade do Rio de Janeiro tem inclusive, capacidade para ser ampliado, pois, segundo o site da própria SUDERJ, em 2007, "Serão disponibilizadas mais vagas para a hidroginástica para a terceira idade, que hoje atende 2.300 pessoas da comunidade e poderá chegar a 10 mil. Também serão retomadas outras modalidades esportivas, como natação, vôlei, basquete e dança de salão, além de projetos voltados para portadores de necessidades especiais."

Situação Projetada pelo Edital de Licitação das Reformas do Complexo do Maracanã.
O Edital para reforma do complexo do Maracanã estava disponível para consulta pública no período de 22 de abril a 22 de maio de 2009, nos sites:
www.turismoesporte.rj.gov.br
www.suderj.rj.gov.br
www.planejamento.rj.gov.br

Antes de receberem os projetos o Edital já indicava "a priori" as demolições. Quem concebeu essa solução técnica?
Na seqüência, transcrevemos alguns itens selecionados do edital:

ITEM 1 - O PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DO MARACANÃ ...De outro lado, o Estádio de Atletismo Célio de Barros e o Parque Aquático Júlio Delamare apresentam altos níveis de ociosidade, até porque não apresentam padrões técnicos adequados que lhes permitam servir a eventos esportivos oficiais. Não é por outra razão que tais instalações, apesar de comporem o complexo esportivo mais importante e notório da Cidade do Rio de Janeiro, foram pouco aproveitadas mais modernas e adequadas disponíveis na Cidade. Nota-se, assim, que tais instalações são utilizadas basicamente para treinamento de um baixo contingente de atletas e para recreação, revelando-se um treinamento de um baixo contigente de atletas e para recreação, revelando-se um patrimônio público com baixíssimo nível de utilização, a um alto custo para a sociedade.
Com efeito, a par de não cumprirem adequadamente a sua funçaõ social e justificarem o patrimônio público ali imobilizado, o Célio de Barros e o Júlio Delamare acabam por congestionar a área do Complexo Maracanã, obstruindo o fluxo ideal de circulação de pessoas e veículos para o uso do Estádio do Maracanã, comprometendo ainda a adoção de medidas de segurança mais adequadsa aos jobos com maior torcida e rivalidade...

ITEM 2.5.1 - ...Dentre as Obras Incidentais, a Concessionária estará obrigada a remover o Estádio de Atletismo Célio de Barros e o Parque Aquático Júlio Delamare de sua atual localização, transferindo-os, às suas expensas, para outra localidade do Rio de Janeiro, conforme oportunamente indicando pelo Poder Concedente...

Nossa Crítica
O Parque Aquático Júlio Delamare está longe de ser subutilizado.
Além do desperdício de verbas públicas inadmissível seria um retrocesso nos espaços sociais principalmente para os idosos (alunos de hidrogináistica) e portadores de necessidades especiais já tão sacrificados pelo precário sistema de saúde públia.

Lembramos que a prática esportiva não é recreação; nossos professores são profissionais; nunca houve ociosidade no local, pois as filas são formadas de madrugada quando as inscrições são abertoas; temos muitas pessoas se recuperando terapeuticamente de acidentes, doenças graves e lutando com doenças degenerativas; temos crianças formando sua auto-estima durante seu desenvolvimento bio-psico-social.

Cremos que a demolição do complexo esportivo deverá causar enorme prejuízo para o contribuinte que já pagou para construir, já pagou para reformar, e agora, está em vias de pagar para demolir e novamente pagar para reconstruir, porque embora o edital mencione que a reconstrução seria feita às expensas da licitante vencedora, em última análise, a sociedade terá que pagar também por esta reconstrução.

Por fim, ressaltamos que o Parque Aquático em apreço, além dos benefícios tangíveis, que pode ser expresso pela formação e iniciação esportiva de inúmeros jovens e de idosos, também apresenta benefícios intangíveis como a promoção da auto-estima dos cidadãos que ali convivem em um espaço bonito, limpo e reconhecido internacionalmente.

Achamos que ao invés de extinguir o Parque Aquático, suas atividades deveriam ser ampliadas e bem administradas como, por exemplo, auxiliando crianças em risco ou em programas sociais para recuperação de aditos e afins.

Ações já realizadas pela sociedade
Nós alunos do PID e demais pessoas sensibilizadas com o absurdo da proposta governamental de de demolição, vimos nos mobilizando e realizando algumas ações concretas para tentar convencer os nossos governantes de promover um projeto que absorva harmoniosamente os valiosos equipamentos esportivos já prontos e funcionais, dentro das reformas justas e necessárias do Complexo do Maracanã mantendo assim, a coerência das política públicas anunciadas pelo Governo.

Dentre as ações já realizadas e em andamento constam as seguintes:
. Abaixo-Assinado que atualmente conta com 4.100 assinaturas e já foi encaminhado para o Ministério Público. Este, pelo número de denúncias, abriu um espaço único de número é 11.979 onde podem ser feitas a juntada de assinaturas, reivindicações, denúncias, etc. Está na sexta CAO das Promotorias de Justiças de Defesa da Cidadania, do Consumidor e Proteção ao Meio Ambiente e Patrimônico Cultural. Tel: 2262-1166.

. Encaminhamento de nossas reivindicações por e-mail, para políticos e autoridades competentes;

. Acompanhamento do desenvolvimento das ações através dos meios de comunicação e, participação em audiência pública (ALERJ).

. Mobilizações junto a opinião pública dentre as quais se destaca o Abraço Simbólico ao Estádio do Maracanã realizado no dia 16 de maio de 2009 cujas imagens (Autor: Félix Averbug) são mostrada na sequência: Projeto Alternativo
Existe a possiblidade técnica e econômica da incorporação dos equipamentos desportivos existentes no Projeto das Reformas tanto é, que o próprio Governo do Estado do Rio de Janeiro tem conhecimento de um Projeto Alternativo desenvolvido por escritórios de arquitetura cariocas que inclusive ficou entre as seis menções honrosas do concurso regional latino-americano do Holcim Awards de 2008, destinado a projetos sustentáveis.

Na sequência são apresentados alguns trechos relevantes desse projeto obtidos no site de uma revista de arquitetura.
www.revistaau.com.br/arquitetura-urbanismo/179/sustentabilidade-125489-1.asp

Novo Entorno para o Maracanã
Por Victor Martinez

Para receber a Copa do Mundo de 2014, o Brasil deve investir na renovação de equipamentos esportivos e construção de outros. Um dos projetos - ainda sem aprovação - é o da remodelação do Maracanã, que deve oferecer uma estrutura de estacionamento para no mínimo cinco mil automóveis, de acordo com as exigências da Fifa.

O arquiteto Antônio Carlos Lopes Saraiva, do escritório Artetec Arquitetura e Construção, em parceria com Rafael Alencar Saraiva e Thais Meireles, da Random Arquitetura e Urbanismo, aperfeiçoaram uma antiga proposta de um estacionamento suspenso sobre a faixa ferroviária próxima ao estádio, com uma estação multimodal de transportes e um parque urbano. O projeto ficou entre as seis menções honrosas do concurso regional latino-americano do Holcim Awards de 2008, destinado a projetos sustentáveis.

Os arquitetos propões a implantação de um estacionamento longitudinal e suspenso sobre a faixa das linhas férreas. A previsão é que dez módulos de 100 x 60 m permitam a instalação das cinco mil vagas solicitadas para carros e mil para bicicletas, em dos níveis. O acesso dos automóveis será feito por dez rampas externas, com acesso direto ao estádio por meio de de passarelas também suspensas.

A estação multimodal deve ser integrada ao estacionamento, como um eixo de convergência de transportes públicos (metrô, trem e ônibus) em uma estação central, com lojas e ilhas ajardinadas. Está previsto no encontro do complexo desportivo a arborização, com lago, quiosques, ciclovias, lojas, bares e restaurantes - estes no próprio corpo do estádio.

A proposta prevê detalhes que levam responsabilidade ambiental ao perímetro urbano, como a implantação de duas grandes cisternas: uma para a captação de chuvas incidentes no estacionamento e na cobertura da estação multimodal, que serão reaproveitadas para regar os jardins, alimentar o lago do parque e limpar os sanitários do complexo; e outra para as possíveis águas transbordadas dos rios Maracanã e Joana, que serão tratadas e devolvidas ao leito dos próprios rios.
Além disso, está prevista a implantação de uma densa área verde com a utilização de espécies da Mata Atlântica, para otimização da permeabilidade do solo, e a instalação de placas fotovoltaicas de captação de energia solar sobre o estacionamento e a estação multimodal.

Tudo ficará estruturado por uma base metálica modulada com simples e rápida montagem industrial, no qual o estacionamento e a estação multimodal ficarão suspensos sobre as linhas férreas do metrô e do trem.

Fora a renda do próprio estacionamento rotativo, o retorno do investimento e o lucro serão complementados por lojas e praça de alimentação presentes no interior da estação, quiosques e restaurantes instalados no parque metropolitano, e os empreendimentos comerciais que aproveitarão as áreas ociosas dentro do próprio estádio do Maracanã. Além disso, está prevista uma programação de eventos no estádio e a exploração publicitária de telas com backprojection disposta em sua fachada.

O local é caracterizado por uma paisagem ferroviária árida, que divide o tecido urbano, separando os bairros de Maracanã e São Cristóvão. Devido à baixa permeabilidade do solo e à poluição dos rios Maracanã e Joana, há inundações na época das chuvas, agravadas pela sujeira carregada dos morros da Grande Tijuca.

Embora o espaço público tenha falta de qualidade, o perímetro do estádio é muito usado pelos moradores, por seu potencial para atividades de lazer. O projeto ainda propõe que o atual estacionamento em volta do estádio seja eliminado para a construção de um grande parque metropolitando, que ficará ligado por uma transposição verde ao parque da Quinta da Boa Vista, hoje isolado pela linha ferroviária.

O projeto está incorporado na proposta do Rio de Janeiro para sediar os jogos da Copa do Mundo de 2014, mais ainda não existe nenhu m contrato que garanta que será, de fato, implantado.

Compromisso de nosso político
" - Foi uma declaração infeliz minha. Mas eu sei ouvir. E a Booz Allena (consultoria que estuda a viabilidade econômico-finaceira do Maracanã) nos garantiu que é possível oferecer o que o Maracanã necessita, inclusive estacionamento, sem tocar no Júlio Delamare e no Célio de Barros - Afirmou o Governador." (Sérgio Cabral).

(Jornal O Globo, 02/08/2007 em - Templos do Esporte a Salvo)

" O governador ainda brincou com os presidentes da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos, Coaracy Nunes, e na Confederação Brasileira de Atletismo, Roberto Gesta.

- Podem dormir tranquilos, os dois pólos esportivos continuarão a existir - disse, rindo ."
(Globoesporte.com, 01/08/2007 - Cabral garante Estádio e Parque Aquático).

Amigo(a)s se vocês também acham isso um absurdo, deixo o SITE abaixo para que vocês acessem e clique no link OUVIDORIA e deixe seu PROTESTO, vamos ajudar o Atletas, a 3ª idade e os deficientes que hoje treinam lá.

www.mp.rj.gov.br

Obrigado!!!

7 comentários:

Anônimo disse...

Vamos ver o que as nossas autoridades terão a coragem de fazer com o único legado do PAN que está tendo função para população.
Afinal de contas...somos nós que pagamos as contas.

satrijoe disse...

Políticos são políticos.

É lamentável que o dinheiro público seja mal empregado. Não vejo o dia-a-dia pra dizer se o complexo está sendo mal usado ou não.

Nesses casos, nunca vai dar pra agradar todo mundo. Mas no final, o que vai prevalecer são os interesses econômicos. Como sempre.

O negócio é continuar colocando a boca no trombone. Quem sabe o nosso presidente linguarudo não se sensibilize? rs

Abraços,
Shigueo

pedalante disse...

Mestre Jorge,

Aqui em SP, já começaram 'algumas obras', na marginal Tietê: arrancando árvores ...e isso tudo para tentar evitar o apocalipse motorizado que virá. Obras como diziam nossos avós, para inglês ver. e Viva 2014 - o ano da copa.

joaquim adelino disse...

Apenas posso oferecer a minha solidariedade aos amigos que estão defendendo e lutando por um lugar de eleição para a prática de lazer e de desporto. A máquina da "evolução" tritura tudo o que aparece pela frente, aqui o ser humano não tem lugar, tem de se adaptar ás tonterias das mentes "bem" iluminadas de uns quantos que apenas se preocupam com o seu bolso ou sonham um dia vir a constar aí num livro qualquer chamado Guiness.
Abraço. E não baixem os braços.

Alunos do PID disse...

Prezados colegas e defensores do Delamare e Célio de Barros.

Faremos uma manifestação para captar assinaturas , e-mails para contato e esclarecimento à população na chegada da Maratona deste domingo( 28 de junho).
O encontro para saída será às 8:00 hs no ponto de ônibus em frente ao SENAI artes gráficas- Rua São Francisco Xavier - 417- Maracanã ou no local de chegada da Maratona, aterro do Flamengo.

Pantera Cor de Rosa disse...

Quanto ao reflorestamento, devo lembrar que muitas árvores no entorno do Maracanã foram arrancadas. Um monte delas foi tirado para dar lugar a um posto de gasolina que nunca foi construído. Nem as plantadas de volta. Um amigo meu, também corredor e maratonista, o Geraldo Pereira, andou plantando algumas.

Abraços.

Anna Tartaruga disse...

Poderíamos recorrer ao bom senso, mas político nao tem bom senso. Então devemos recorrer a memória e lembrar que os autores desta idéia insama é o atual governador Sergio Cabral e o Ex secretario de esporte Eduardo Paes. Caso a insanidade deles prevaleca, por favor, nada de votar neles novamente. Outra coisa, caso ocorra a esperada mudanca e os estadios nao sejam demolidos, dá para mudar a gestao do parque aquatico ? Os alunos chegarem 7h para fazer natacao e os professores ou o bombeiro chegar as 7:20 h e ninguém poder entrar por causa disso,mesmo a aula terminando as 7:40h, é falta de consideracao com os usuários. Isso ocorria várias vezes, tendo o coordenador ciencia e nenhuma providencia tomada. Outra coisa, eu levei 1 ano para tentar sair deste horario das 7h, pelos motivos acima expostos e nao consegui, quando bastaria a funcionaria se levantar da cadeira e verificar se havia vaga no outro horario e fazer a mudanca. Resolvi nao conviver mais com a bagunca e sai. Só que tem gente ali que nao pode pagar academia. Enquanto estiver a administracao atual lá, o parque continuará subutilizado. Estou consciente que quem posta em internet encontra opiniões diversas. Obrigada.
Jorge, Parabens pelo tempo e colocacao na maratona do Rio.